quinta-feira, dezembro 18, 2014

Bolinhos de chocolate e gingerbread, pixie e bob

English version

Chocolate gingerbread cakes / Bolinhos de chocolate e gingerbread

Além de seriados e receitas de Natal, este mês também foi quando decidi deixar o meu pixie crescer: tinha pensado nisso há um mês e pouco, daí desisti da ideia e resolvi manter o corte, mas acabei me apaixonando pelo lindo bob da Emma Stone e agora mal posso esperar para copiar o corte dela (e também ando pensando em copiar a cor, já que logo, inevitavelmente, terei de começar a pintar o cabelo por causa dos brancos).

Comida, filmes e cortes de cabelo: definitivamente encontra-se de tudo neste blog. ;)

Terei de ser paciente, pois levará meses para o meu cabelo chegar ao comprimento desejado, e isso certamente será um exercício interessante para mim; por sorte, na cozinha não preciso esperar tanto para comer algo delicioso (o que é uma das razões pelas quais acho aprender a cozinhar tão empoderador) e estes bolinhos são a prova: pequeninos, eles assam e esfriam rapidinho e em pouco tempo os meus estavam lindões sobre a gradinha, apenas esperando a ganache firmar ligeiramente – se vocês forem impacientes como eu podem devorar os bolinhos assim que terminarem de espalhar a cobertura sobre eles: juro que não conto para ninguém. ;)

Bolinhos de chocolate e gingerbread
um nadinha adaptados da sempre maravilhosa revista Delicious Australia

- xícara medidora de 240ml

Bolinhos:
¼ xícara de mel
¼ xícara de melado de cana
125g de açúcar mascavo
¾ xícara (180ml) de leite integral
¾ xícara (105g) de farinha de trigo
½ xícara (45g) de cacau em pó, sem adição de açúcar
1 ¼ colher (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de gengibre em pó
¾ colher (chá) de pimenta-da-jamaica moída na hora
½ colher (chá) de canela em pó
¼ colher (chá) de cravo em pó
1 pitada de sal
65g de manteiga sem sal, temperatura ambiente
1 ovo
1 colher (chá) de extrato de baunilha
gengibre cristalizado, para decorar

Ganache:
200g de chocolate amargo, picadinho – usei um com 53% de cacau
100ml de creme de leite fresco
1 colher (sopa) – 14g – de manteiga sem sal

Preaqueça o forno a 180°C. Unte com manteiga uma forma de muffin com 12 cavidades e forre o fundo de cada uma com papel manteiga (eu cortei o fundinho de forminhas de cupcake e os usei para forrar a forma). Em uma panelinha, junte o mel, o melado, o açúcar e o leite e leve ao fogo baixo, mexendo até o açúcar dissolver. Deixe esfriar.

Coloque a farinha, o cacau, o fermento, as especiarias, o sal e a manteiga em um processador de alimentos e pulse para misturar. Junte o ovo, a mistura de mel já fria e a baunilha e processe até obter uma massa lisa. Divida entre as forminhas de muffin e asse por 20-25 minutos ou até que os bolinhos cresçam (faça o teste do palito). Deixe esfriar na forma por 10 minutos e então desenforme com bastante cuidado – os bolinhos são bem macios –, remova o papel e transfira-os para uma gradinha para que esfriem completamente.

Ganache: aqueça o creme de leite em uma panelinha em fogo médio até que bolhas comecem a se formar nas extremidades. Retire do fogo, junte o chocolate e a manteiga e espere dois minutos. Misture até obter um creme homogêneo. Deixe esfriar e espalhe sobre os bolinhos, decorando-os com o gengibre cristalizado – sobrou um tiquinho de ganache, levei à geladeira até endurecer e fiz trufinhas, passando-as em cacau em pó.

Rend.: 12 unidades

terça-feira, dezembro 16, 2014

Bolas de neve de cardamomo e avelã e outra despedida

English version

Cardamom and hazelnut snowballs / Bolas de neve de avelã e cardamomo

Os últimos dias tem sido sobre mais do que docinhos de Natal: ontem eu me despedi de um bando de criminosos que moraram no meu coração por sete temporadas.

Foi o final perfeito para uma jornada perfeita – nada menos do que eu esperava. Grandes atuações, ótimo roteiro, e é uma pena que “Sons of Anarchy” nunca esteve no radar das grandes premiações, a não ser pelo Globo de Ouro que Katey Sagal levou para casa em 2011 (e que foi absolutamente merecido).

Chorei feito um bebê assistindo ao episódio final, tanto que meu marido veio me trazer um pedacinho de papel higiênico (“o que você está vendo que está te fazendo chorar tanto assim?”, perguntou ele) – acho que eu não estava preparada para outra despedida tão já.

Cozinhar é tão terapêutico para mim que geralmente vou para a cozinha quando estou de teto baixo, mas para ser sincera fiquei tão destruída com o final de uma das minhas séries favoritas que fiquei sem vontade de fazer qualquer coisa gostosa, nem mesmo o jantar – por sorte eu preparara estes biscoitinhos deliciosos no dia anterior e agora posso dividir a receita com vocês.

Bolas de neve de cardamomo e avelã
um nadinha adaptadas da revista Bon Appétit

- xícara medidora de 240ml

2 ½ xícaras (350g) de farinha de trigo
as sementes de 12 bagas de cardamomo moídas até virar pó
¼ colher (chá) de canela em pó
¼ colher (chá) de sal
1 ½ xícaras (210g) de açúcar de confeiteiro, uso dividido*
1 xícara generosa (110g) de avelãs laminadas
1 xícara (225g) de manteiga sem sal, temperatura ambiente
1 colher (sopa) de extrato de baunilha

Preaqueça o forno a 180°C. Forre duas assadeiras grandes e rasas com papel manteiga.

Em uma tigela média, misture a farinha, o cardamomo, a canela e o sal. Reserve.
No processador de alimentos, processe ½ xícara (70g) do açúcar com as avelãs até obter uma farofa grossinha. Na batedeira, bata a manteiga e a baunilha até obter um creme, 2-3 minutos. Junte a mistura de açúcar e avelã e bata para incorporar. Junte os ingredientes secos e bata até que uma massa comece a se formar. Com as mãos, sove levemente três ou quatro vezes até a massa ficar homogênea.

Usando 1 colher (sopa) nivelada de massa por biscoito, faça bolinhas e coloque-as nas assadeiras preparadas deixando 2,5cm de distância entre elas. Asse (uma forma por vez) até que a parte de baixo dos biscoitos esteja dourada, 12-15 minutos. Enquanto isso, peneire o açúcar restante em um recipiente largo e raso.

Trabalhando em etapas, coloque alguns biscoitos no açúcar e misture para cobri-los bem. Transfira para uma gradinha e deixe esfriar completamente. Depois de frios, polvilhe-os com o açúcar que sobrar.

Os biscoitos podem ser guardados em um recipiente hermético em temperatura ambiente por até cinco dias.

* usei açúcar de confeiteiro na massa dos biscoitos e açúcar impalpável para envolvê-los quando saíram do forno

Rend.: cerca de 50 biscoitos

segunda-feira, dezembro 15, 2014

Fudge de chocolate e especiarias

English version

Spiced chocolate fudge / Fudge de chocolate e especiarias

Para mim, é sempre uma alegria fazer a série de Natal aqui no blog: os docinhos são deliciosos, o feedback de vocês é incrível e o meu apartamento fica com um cheirinho maravilhoso, também. :)

Há, entretanto, um problema: são tantas receitas ótimas que tenho certo trabalho para escolher quais preparar. Além dos livros, as revistas especiais de Natal começam a chegar, cheias de sugestões lindas para essa época do ano e fica ainda mais difícil decidir quais receitas entram na seleção – não nos esqueçamos da vez em que guardei uma receita por quase um ano para prepará-la na série de Natal seguinte (sim, eu bato pino, gente). :D

A minha lista de receitas deste ano já estava pronta e eu não planejava alterá-la, mas quando a edição de Natal da revista Donna Hay chegou eu tive de adicionar este fudge à série: todo mundo ama chocolate e o ingrediente combina tão bem com especiarias – sem falar que a receita rende um monte, o que é ótimo para quando se tem bastante gente para alimentar.

A receita da Donna é meio chatinha, por isso peguei emprestado dela a ideia de adicionar especarias ao fudge e usei uma receita bem mais simples, com um resultado excelente.

Fudge de chocolate e especiarias
adaptado daqui e da revista Donna Hay

- xícara medidora de 240ml

335g de chocolate meio-amargo picadinho – usei um com 53% de cacau
2/3 xícara de leite condensado
1 colher (sopa) de água
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 colher (chá) de pimenta-da-jamaica moída na hora
½ colher (chá) de canela em pó
as sementes de 4 bagas de cardamomo, moídas até virar pó
¼ colher (chá) de cravo em pó
1 pitada de sal

Forre uma forma quadrada de 20cm com papel manteiga. Coloque o chocolate, o leite condensado e a água em uma panela pequena e leve ao fogo baixo, mexendo sempre, até derreter.

Retire do fogo e adicione a baunilha, as especiarias e o sal. Espalhe na forma preparada e alise a superfície. Leve à geladeira por 30 minutos ou até firmar. Corte em quadrados pequeninos.

Rend.: 64 unidades

quinta-feira, dezembro 11, 2014

Biscoitos de painço e gengibre com glacê de laranja

English version

Crystallized ginger millet cookies with orange icing / Biscoitos de painço e gengibre com glacê de laranja

Uma das muitas coisas que amei em Nova York – posso dizer que amei tudo na cidade, em ambas as vezes em que a visitei – foi o Whole Foods: havia tanta variedade, tudo parecia lindo e delicioso, que eu queria trazer todos os ingredientes para casa (pena que não deu). :)

[se vocês me perguntarem sobre as lojas de roupa na 5ª Avenida provavelmente não serei muito útil]. :)

Havia diversos tipos de frutas, verduras, legumes, chocolates, oleaginosas – tudo o que vocês imaginarem. Fiquei impressionada pelas diferentes variedades de farinhas: havia tantas que fiquei um tempão babando em frente às prateleiras (de acordo com meu marido). :D Não achei que seria uma boa ideia encher a mala com quilos e mais quilos de farinha, então trouxe apenas um saquinho de farinha de avelã, deixando todos aqueles ótimos produtos para trás. :(

Passa-se um ano e eu me surpreendo ao ver produtos da Bob’s Red Mill na Casa Santa Luzia – não havia tanta variedade como em Nova York, mas havia algumas coisinhas bem interessantes e eu comprei um pacotinho de farinha de painço e já a usei duas vezes até agora: timidamente nos amanteigados de laranja e alecrim e com mais coragem nestes biscoitinhos de gengibre.

Os cookies ficaram ótimos, uma delícia, e mal posso esperar para usar a farinha de painço mais vezes nos meus doces – talvez em um bolo da próxima vez?

Biscoitos de painço e gengibre com glacê de laranja
um tiquinho adaptados do maravilhoso Supergrains: Cook Your Way to Great Health

- xícara medidora de 240ml

Biscoitos:
½ xícara (113g) de manteiga sem sal, temperatura ambiente
2/3 xícara (115g) de açúcar mascavo claro – aperte-o na xícara na hora de medir
1/3 xícara de mel
1 xícara (140g) de farinha de painço – comprei na Casa Santa Luzia
¾ xícara (105g) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de gengibre em pó
1 colher (chá) de canela em pó
1 pitada de sal
75g de gengibre cristalizado bem picadinho – também comprei na Casa Santa Luzia

Glacê:
½ xícara (70g) de açúcar de confeiteiro – usei impalpável
1 colher (sopa) de suco de laranja

Pré-aqueça o forno a 180°C. Forre duas assadeiras grandes e rasas com papel manteiga.

Usando a batedeira, bata a manteiga, o açúcar e o mel até obter um creme claro e fofo. Peneire juntos a farinha de painço, a farinha de trigo, o sal, o gengibre em pó, a canela em pó e o gengibre picadinho acrescente à tigela da batedeira, misturando até obter uma massa.
Faça bolinhas com 1 colher (sopa) nivelada de massa e coloque nas assadeiras preparadas deixando 5cm de distância entre uma e outra. Achate ligeiramente cada bolinha. Asse por 12-15 minutos ou até que os biscoitos dourem. Deixe esfriar na assadeira por 5 minutos e então deslize o papel com os cookies para uma gradinha e deixe esfriar completamente.

Glacê: peneire o açúcar em uma tigela pequena. Junte o suco aos poucos, misturando até obter a consistência desejada (junte água se necessário). Espalhe sobre os biscoitos já frios e deixe secar por 15-20 minutos.

Rend.: cerca de 35 unidades

terça-feira, dezembro 09, 2014

Bolo de maçã e eggnog

English version

Eggnog apple cake / Bolo de maçã e eggnog

Comemorações pedem bolo e o Natal não é exceção: eu achei que a série deste ano não estaria completa sem um bolinho, mas não o Christmas cake que vejo em muitos dos meus livros e revistas: não é mesmo a minha praia (desculpem-me os puristas). :) Acho denso, com frutas secas e bebida em excesso, e o que eu queria era algo completamente diferente: macio e perfumado com especiarias.

Quando vi a receita de um bolo de maçã e eggnog soube que a busca chegara ao fim: na mesma hora lembrei-me do bolo de eggnog delicioso que fizera há uns anos e a adição de maçãs só poderia ser algo bom – eu estava certa. Neste bolo, os cubinhos de maçã são cozidos com conhaque antes de entrar na massa do bolo, mas eu não tinha conhaque em casa e dei uma roubada no jogo usando xerez.

Enquanto eu cozinhava as maçãs na bebida, meu marido apareceu na cozinha para ver o que eu estava preparando: o cheiro estava tão bom que ele ficou curioso – isso vindo de um homem que nunca come frutas e que não gosta de doces (ninguém é perfeito, né?) tinha de ser um sinal de que alguma coisa muito boa sairia do meu forno, e isso de fato aconteceu.

Eggnog apple cake / Bolo de maçã e eggnog

Bolo de maçã e eggnog
um nadinha adaptado do lindíssimo e delicioso Indulgent Cakes

- xícara medidora de 240ml

2 maçãs Granny Smith médias (380g no total), descascadas e picadas em cubinhos pequenos
¼ xícara (60ml) de conhaque*
¼ xícara (50g) de açúcar cristal (para cozinhar as maçãs)
170g de manteiga sem sal, amolecida
80g de cream cheese, amolecido
1 ¼ xícaras (250g) de açúcar cristal (para o bolo)
2 colheres (chá) de extrato de baunilha
4 ovos
225g de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de noz moscada ralada na hora
¼ colher (chá) de sal
açúcar de confeiteiro ou impalpável, para polvilhar

Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte com manteiga uma forma redonda de 20x7cm, forre o fundo com um círculo de papel manteiga e unte-o também.

Em uma frigideira grande, junte as maçãs, o conhaque e o ¼ xícara de açúcar e leve ao fogo médio, mexendo de vez em quando, até o açúcar dissolver. Cozinhe até as maçãs amaciarem, cerca de 5 minutos. Retire do fogo e deixe esfriar completamente.

Em uma tigela média, peneire juntos a farinha, o fermento, a noz moscada e o sal.
Em uma tigela grande, usando a batedeira, bata a manteiga, o cream cheese, o restante do açúcar e a baunilha até obter um creme claro e fofo. Junte os ovos, um a um, batendo bem a cada adição e raspe as laterais da tigela. Em velocidade baixa, junte os ingredientes secos e bata apenas até incorporar. Com uma espátula de silicone, incorpore as maçãs e o líquido à massa. Transfira para a forma, alise a superfície e asse por cerca de 1 hora ou até o bolo crescer e dourar (faça o teste do palito).
Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 30 minutos. Desenforme com cuidado, remova o papel e transfira para a gradinha, deixando esfriar completamente.
Polvilhe com açúcar de confeiteiro antes de servir.

* eu não tinha conhaque em casa, usei xerez

Rend.: 8-10 porções

domingo, dezembro 07, 2014

Picolés de gingerbread

English version

Gingerbread popsicles / Picolés de gingerbread

Sempre reclamo do clima aqui na época do Natal: é quente demais – ano passado foi bem desconfortável com aqueles dias de 39°C –, é difícil cozinhar e ligar o forno (esqueçam abrir massa de biscoito com o rolo, por exemplo), e tudo o que quero é fazer nada o dia todo com uma cerveja ou uma taça de espumante bem gelado por perto.

Outro dia, de repente, me toquei de que em vez de reclamar eu deveria tirar vantagem do calor e incorporá-lo às comidinhas de Natal: picolés são deliciosos e ótimos para o verão e estes são cheios de especiarias, tem um toque de mel e açúcar mascavo e são bem cremosos.

[lembrei agora de minha amiga C.: carioca, ela diz que quando vê alguém pedindo picolé cremoso na praia já sabe de cara que se trata de paulistano]. :D

Serei honesta com vocês e admitirei que passou pela minha cabeça dar um banho de chocolate nos picolés para deixá-los ainda mais irresistíveis, mas o dia estava lindo e eu preferi dar uma volta pedalando por aí – não lhes contei, mas aprendi a andar de bicicleta logo depois de completar trinta e seis anos. \0/

Picolés de gingerbread
um tiquinho adaptado da sempre ótima revista Delicious Australia

- xícara medidora de 240ml

185ml de leite integral
185ml de creme de leite
3 gemas
1/3 xícara (58g) de açúcar mascavo claro – aperte-o na xícara na hora de medir
2 colheres (sopa) de mel
½ colher (chá) de gengibre em pó
1 colher (chá) de canela em pó
1/8 colher (chá) de cravo em pó
¼ colher (chá) de noz moscada ralada na hora
1 pitada de sal
1 colher (chá) de extrato de baunilha

Aqueça o leite e o creme de leite em uma panela pequena até que bolhas comecem a se formar nas extremidades. Em uma tigela média, usando um batedor de arame, misture as gemas, o açúcar, o mel, as especiarias, o sal e a baunilha até incorporar tudo. Aos poucos, despeje o leite sobre a mistura, mexendo sempre. Despeje a mistura de volta na panela e leve ao fogo médio-baixo, mexendo sempre, até engrossar ligeiramente e parecer uma espécie de mingau – a temperatura do creme deve ser de 76 a 79°C e ele deve cobrir as costas da colher de pau. Não deixe ferver.

Passe o creme por uma peneira e deixe esfriar. Divida entre seis forminhas de picolé com capacidade para 1/3 xícara (80ml) cada - a minha é essa. Leve ao freezer por 40 minutos e então espete um palito de picolé em cada molde. Volte ao freezer por mais 4 horas ou de um dia para o outro para firmar bem.

Rend.: 6 unidades

sexta-feira, dezembro 05, 2014

Cookies de gingerbread e gotas de chocolate para começar a série de Natal

English version

Choc chip gingerbread cookies / Cookies de gingerbread e gotas de chocolate

Minha época favorita do ano já chegou: o tempo voa mesmo, como escrevi há um ano. E, assim como dezembro passado, a série de Natal deste ano começa com biscoitos: eles são uma delícia, fáceis de fazer, todo mundo que conheço adora e também são uma ótima ideia para presentes caseiros – por isso escolhi esta receita para começar as comemorações de final de ano por aqui.

A receita é da Donna Hay, alguém que nunca decepciona, e chocolate chip cookies são outra coisa pela qual sou grata ao blog, pois aprendi a fazê-los depois de vê-los sendo devorados em desenhos animados e filmes por anos a fio – um toque de melado e especiarias e eles são transformados em biscoitos de Natal em questão de segundos.

Quando abri a lata um dia depois de preparar os biscoitos para fazer a foto deste post o cheiro estava tão incrível que tive que comer uns dois cookies antes de pegar a câmera. ;)

Para mais posts de Natal, cliquem aqui.

Cookies de gingerbread e gotas de chocolate
um nadinha adaptados da fantástica revista Donna Hay

- xícara medidora de 240ml

2 ½ xícaras (350g) de farinha de trigo
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
1 ½ colheres (chá) de gengibre em pó
1 colher (chá) de canela em pó
½ colher (chá) de pimenta-da-jamaica moída
¼ colher (chá) de cravo em pó
125g de manteiga sem sal, amolecida
½ xícara (88g) de açúcar mascavo claro – aperte-o na xícara na hora de medir
2/3 xícara de melado de cana
100g de chocolate amargo ou meio-amargo picado – usei um com 70% de cacau

Pré-aqueça o forno a 180°C. Forre duas assadeiras grandes e rasas com papel manteiga.

Em uma tigela média, peneire juntos a farinha, o bicarbonato, o sal e as especiarias. Reserve.
Em uma tigela grande, usando a batedeira, bata a manteiga e o açúcar até obter um creme claro. Junte o melado e os ingredientes secos e bata em velocidade baixa somente até que uma massa se forme. Com uma espátula, incorpore o chocolate.

Faça bolinhas com 2 colheres (sopa) niveladas de massa por biscoito e coloque nas assadeiras deixando 5cm de distância entre uma e outra. Achate as bolinhas ligeiramente. Asse os biscoitos até que dourem, 10-12 minutos. Deixe esfriar nas assadeiras por 5 minutos e então deslize o papel com os biscoitos para uma gradinha e deixe esfriar completamente.

Rend.: cerca de 25 unidades

sábado, novembro 29, 2014

Panquecas de buttermilk - fáceis e deliciosas

English version

Buttermilk pancakes / Panquecas de buttermilk

Uma das coisas pelas quais sou grata a este blog é por ter aprendido a fazer panquecas Americanas – como muitos de vocês, cresci comendo panquecas bem fininhas com recheios salgados e cobertas com molho de tomate ou molho branco (béchamel).

Panquecas assim são uma delícia, mesmo, e eu as faço de vez em quando até hoje, mas para mim não servem para café da manhã nem para aquelas tardes em que bate uma vontade doida de comer um docinho e não há muita coisa na despensa ou na geladeira com o que cozinhar – para tais ocasiões, panquecas fofinhas com mel ou xarope de bordo são perfeitas.

Estas panquecas são fofinhas, deliciosas e bem fáceis de fazer: já perdi as contas de quantas vezes fiz esta receita, sempre com resultados ótimos. Quando não estou com pressa de assistir algo na TV cozinho uma banana em um tiquinho de manteiga, açúcar e canela (como expliquei no Instagram) até caramelizar e sirvo com as panquecas – bom demais.

Panquecas de buttermilk
do delicioso Bill's Basics

100g de farinha de trigo
1 ½ colheres (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
1 colher (sopa) de açúcar cristal
1 ovo, levemente batido com um garfo
½ colher (chá) de extrato de baunilha
1 colher (sopa) - 14g - de manteiga sem sal, derretida e fria + um pouquinho para pincelar a frigideira
150ml de buttermilk*

Em uma tigela grande, peneire juntos a farinha, o fermento e o sal. Misture o açúcar, o ovo, a manteiga derretida e a baunilha. Junte o buttermilk e misture.

Aqueça uma frigideira antiaderente grande em fogo médio e pincele levemente com manteiga. Usando cerca de 2 colheres (sopa) de massa por panqueca, despeje a massa na frigideira e cozinhe por 2-3 minutos – quando bolhas aparecerem na superfície, vire as panquecas e cozinhe por mais 1 minuto do outro lado.
Sirva com xarope de bordo, mel, polvilhadas com açúcar de confeiteiro ou com o que preferir.

* para fazer 1 xícara de buttermilk em casa: coloque 1 colher (sopa) de suco de limão em uma xícara medidora de 240ml, complete com leite integral em temperatura ambiente e aguarde 10 minutos para sorar; use todo o conteúdo da xícara na usa receita

Rend.: cerca de 10 panquecas

quarta-feira, novembro 26, 2014

Biscoitinhos thumbprint integrais

English version

Whole wheat thumbprints / Biscoitinhos thumbprint integrais

Depois de fazer uma fornada de cookies que falharam miseravelmente, a querida Lê me perguntou qual era a minha receita de biscoito favorita e eu achei a pergunta bem difícil: já fiz um montão de receitas diferentes até hoje e tenho mais de uma preferida. Já que os biscoitos desastrosos eram cookies com gotas de chocolate, continuei no assunto e disse à Lê que um dos meus favoritos desse tipo eram os cookies feitos totalmente com farinha integral da Kim Boyce: eles são uma delícia e antes de prepará-los jamais teria acreditado que uma receita de biscoito feita inteiramente com farinha integral ficaria tão boa.

Naquele mesmo dia, ainda estava com biscoitos na cabeça – receitas ruins me deixam cabreira, gente – e decidi fazer outra receita com farinha integral, desta vez com um tiquinho de farinha de avelã para incrementar ainda mais o sabor de castanha da farinha integral. Os escolhidos foram os biscoitinhos thumbprints da Louise Fulton Keats, recheados com geleia de amora: ficaram saborosos e foram bem fáceis de fazer – mais um ponto para a farinha integral.

Dois dias depois os biscoitinhos estavam meio molinhos, mas ainda gostosos – isso não me incomodou muito, mas da próxima vez vou tentar solucionar o problema assando os biscoitos sem a geleia e recheando-os depois de tirá-los do forno.

Whole wheat thumbprints / Biscoitinhos thumbprint integrais

Biscoitinhos thumbprint integrais
do delicioso e lindo Something for Everyone: Family Meals for Baby, Toddler and Beyond

250g de manteiga sem sal, amolecida
150g de açúcar mascavo
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 ovo
260g de farinha de trigo integral
55g de farinha de avelã
geleia de amora, ou a que preferir

Pré-aqueça o forno a 180°C. Forre duas assadeiras grandes e rasas com papel manteiga.

Com a batedeira, bata a manteiga e o açúcar até obter um creme claro. Junte a baunilha e o ovo e bata até incorporar. Com a batedeira em velocidade baixa, junte a farinha de trigo, a farinha de avelã e o sal, batendo somente até que uma massa se forme. Cubra e leve à geladeira por pelo menos 1 hora.

Faça bolinhas com 1 colher (sopa) nivelada de massa e coloque nas assadeiras preparadas, deixando 5cm de distância entre uma e outra. Com o cabo de uma colher de pau ou outro utensílio, pressione levemente o centro de cada bolinha de massa. Encha cada buraquinho com geleia. Asse por 12-15 minutos ou até que os biscoitos dourem. Deixe esfriar nas formas por 2 minutos e então deslize o papel com os biscoitos para uma gradinha e deixe esfriar completamente.

Rend.: 55 biscoitinhos

domingo, novembro 23, 2014

Mull de berinjela e mudanças de humor

English version

Eggplant mull / Mull de berinjela

Escolher o que cozinhar nem sempre é uma tarefa fácil por aqui: quero fazer um monte de coisas, o que não é muito viável (sem contar que é caro também), por isso tenho que me policiar e ser razoável. Às vezes estou cansada e quero algo simples que não me deixe em pé na cozinha por muito tempo – estes são os dias em que a tomada de decisão é bem mais rápida.

Há, entretanto, algo que muda de vez em quando: meu humor.

Há dias em que folheio certos livros de receita por horas e não encontro absolutamente nada que me apeteça: começo a pensar no porquê de ter comprado o livro, que foi um desperdício de dinheiro, etc. (oi, TPM). Daí, semanas depois, ou até mesmo dias, pego o mesmo livro na estante e quero comer tudo o que está nele – todas as receitas me parecem deliciosas.

Não, gente, não sou louca de pedra, juro. :D

Tempos atrás estava com o livro da Maria Elia no colo enquanto tomava uma xícara de chá e ao virar página por página fiquei tentando me lembrar da razão pela qual comprara o livro já que nada ali me parecia interessante. Nadinha mesmo. Uma semana depois peguei o livro novamente e fiquei com tanta água na boca que não conseguia decidir qual receita preparar: tudo parecia sensacional! Escolhi o mull de berinjela porque tinha todos os ingredientes em casa e o danado ficou tão gostoso e foi tão simples de fazer que se tornou um favorito aqui – comidinha ótima para dias úteis.

A páprica que usei era ardida e nas outras vezes em que preparei o prato usei metade da quantidade pedida na receita abaixo – tolerância a coisas apimentadas é algo bem pessoal, por isso sugiro que adaptem a quantidade de acordo com o gosto de vocês.

Mull de berinjela
um nadinha adaptado do delicioso Full of Flavor: How to Create Like a Chef

1 berinjela grande, cortada ao meio no sentido do comprimento e então em fatias de 5mm
azeite de oliva
sal e pimenta do reino moída na hora
½ cebola picadinha
2 dentes de alho, amassados e picadinhos
3 tomates maduros, sem as sementes e picados grosseiramente
1 colher (chá) de páprica
½ colher (chá) de cominho
1 pitada de pimenta caiena
suco de ½ limão siciliano
1 punhado de folhas de salsinha picadas
3 colheres (sopa) de orégano fresco

Pré-aqueça o forno a 200°C. Forre uma assadeira grande e rasa com papel alumínio e pincele generosamente com azeite. Arrume as fatias de berinjela sobre o papel, regue com azeite e tempere com sal e pimenta. Asse por 25 minutos.

Aqueça 2 colheres (sopa) de azeite uma frigideira antiaderente grande em fogo médio-alto e junte a cebola, refogando até que fique transparente. Junte o alho e refogue até perfumar. Junte os tomates e cozinhe por cerca de 5 minutos ou até que amaciem. Junte a berinjela e cozinhe por 5 minutos. Acerte o sal e junte mais pimenta do reino se desejar.

Retire do fogo, junte o suco de limão e as ervas e misture. Sirva imediatamente.

Rend.: 2 porções

sexta-feira, novembro 21, 2014

Cookies de aveia, cranberry e coco e um seriado bem bacana

English version

Cranberry oatmeal cookies with coconut / Cookies de aveia, coco e cranberry

Diversas vezes eu sento em frente ao computador doida para dividir com vocês algo delicioso, porém acho que não tenho muito a dizer e acabo adiando o post, às vezes por um bom tempo. Daí, quando estou fazendo algo completamente diferente e não tenho como chegar perto do computador várias coisas me veem à mente, coisas que eu adoraria compartilhar com vocês além das receitas, mas isso acontece tão rapidamente que quando sento aqui novamente me dá branco.

É frustrante. :S

Meses atrás descobri, sem querer, um seriado britânico chamado “Dates” e adorei tanto o piloto que devorei os nove episódios em dois dias. Inteligente, sexy, divertido, triste em alguns momentos, com boas atuações – tudo o que um bom seriado de TV deveria ter/ser.

Infelizmente até agora não li nada sobre uma segunda temporada, mas ainda espero que aconteça. Enquanto isso, vou ouvindo no repeat a linda canção tema “Chloe”, especialmente quando estou na cozinha fazendo coisinhas gostosas como estes cookies: não tinha ideia (ou não lembrava) de que coco e cranberries ficavam tão bons juntos, e ambos deixam estes biscoitos de aveia ainda mais especiais.

Cookies de aveia, cranberry e coco
um nadinha adaptados do delicioso The Seasonal Baker: Easy Recipes from My Home Kitchen to Make Year-Round

- xícara medidora de 240ml

¾ xícara (105g) de farinha de trigo
½ colher (chá) de bicarbonato de sódio
½ colher (chá) de canela em pó
1/8 colher (chá) de sal
½ xícara (113g) de manteiga sem sal, temperatura ambiente
½ xícara (88g) de açúcar mascavo claro – aperte-o na xícara na hora de medir
¼ xícara (50g) de açúcar cristal
1 ovo grande
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 ½ xícaras (135g) de aveia em flocos
½ xícara (50g) de coco ralado sem adição de açúcar
1 xícara de cranberries secas

Pré-aqueça o forno a 180°C. Forre duas assadeiras grandes e rasas com papel manteiga.

Em uma tigela média, misture com um batedor de arame a farinha, o bicarbonato, a canela e o sal.
Em uma tigela grande, usando a batedeira, bata a manteiga e os açúcares até obter um creme claro. Junte o ovo, batendo. Raspe as laterais da tigela. Junte a baunilha.
Em velocidade baixa, acrescente a mistura de farinha e bata somente até incorporar. Com uma espátula, misture a aveia, o coco e as cranberries.

Coloque porções de 2 colheres (sopa) niveladas de massa por biscoito nas assadeiras deixando 5cm de distância entre uma e outra. Asse os biscoitos até que dourem nas extremidades e ainda estejam levemente úmidos no centro, 12-14 minutos. Deixe esfriar nas assadeiras por 10 minutos e então deslize o papel com os biscoitos para uma gradinha e deixe esfriar completamente.

Rend.: cerca de 25 unidades

segunda-feira, novembro 17, 2014

Quadradinhos de caramelo

English version

Sticky toffee squares / Quadradinhos de caramelo

Sou uma formiga e isso não é segredo nenhum, mas há doces e sobremesas que tem um lugar especial no meu coração por outros motivos além de seu sabor: eles lembram certos períodos da minha vida, certos dias e ocasiões, e isso os torna mais especiais ainda.

Quando eu era pequena minha avó fazia doce de leite em casa de vez em quando, e era um dos meus doces preferidos: era delicioso sozinho, para comer de colher, espalhado no pão, com queijo... Só de pensar minha boca enche d’água – minha avó fazia uma panelona de doce de leite a cada vez, mas não durava quase nada. :)

Ainda amo doce de leite, mas nunca tentei fazê-lo em casa como minha avó fazia – o máximo que fiz até hoje foi cozinhar a lata de leite condensado na panela de pressão, mas nem isso faço mais já que agora é facílimo encontrar doce de leite argentino por aqui: o único trabalho é abrir o pote, e para evitar que eu acabe com ele sozinha também uso o doce em receitas, preparando coisinhas gostosas como estes quadradinhos aqui. :)

Quadradinhos de caramelo
um nadinha adaptados da deliciosa revista Olive

- xícara medidora de 240ml

Bolo:
175g de farinha de trigo
1 ¾ colheres (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
2 colheres (sopa) de farinha de amêndoa
175g de manteiga sem sal, amolecida
150g de açúcar mascavo claro
1 colher (chá) de extrato de baunilha
3 ovos

Cobertura:
2/3 xícara de doce de leite
2 colheres (sopa) de creme de leite fresco

Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma forma quadrada de 20cm, forre o fundo com um quadrado de papel manteiga e unte-o também.

Em uma tigela média, misture com um batedor de arame a farinha de trigo, o fermento, o sal e a farinha de amêndoa. Em outra tigela, usando a batedeira, bata a manteiga e o açúcar até obter um creme claro e fofo. Junte a baunilha. Em velocidade baixa, junte os ingredientes secos + 1 ovo a cada vez em três adições, batendo para incorporar, e depois bata até obter uma massa lisa. Transfira para a forma preparada e alise a superfície. Asse por cerca de 30 minutos ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito). Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 30 minutos. Desenforme com jeitinho, remova o papel e inverta o bolo na gradinha para que esfrie completamente.

Cobertura: junte o doce de leite e o creme de leite em uma tigela pequena e misture bem. Espalhe sobre o bolo já frio. Corte em quadradinhos para servir.

Rend.: 16 porções

sexta-feira, novembro 14, 2014

Amanteigados de laranja e alecrim - fazendo amizade com alecrim

English version

Orange rosemary shortbread / Amanteigados de laranja e alecrim

Tenho de começar o texto confessando que levei meses (uma consulta rápida ao site da Amazon mostra que comprei o livro em janeiro, então quase um ano) para preparar estes biscoitinhos, tudo porque fui covarde: tinha medo de que todo aquele alecrim na massa daria um gosto estranho aos amanteigados.

Tenho trinta e cinco seis anos e alecrim me dá medo: sempre acho que a comida vai ficar com gosto de sabonete. :S

Adoro cozinhar com ervas frescas e adiciono tomilho, orégano, manjericão, manjerona, salsinha e até mesmo o polêmico coentro às receitas sem nem pensar muito a respeito, pois elas deixam tudo mais gostoso, mas quando o assunto é alecrim não consigo, e toda vez que vejo o Jamie Oliver colocar um monte de alecrim nas receitas dele me dá um desespero, meu cérebro grita “é muito, é muito!”. :)

Decidi parar de bobeira e comprei um vasinho de alecrim para, aos poucos, começar a usá-lo na minha cozinha e estes amanteigados foram a minha primeira tentativa de fazer amizade com o danado: os biscoitos ficaram deliciosos, o sabor do alecrim combinando perfeitamente com a laranja.

Já me sinto muito mais corajosa agora. ;)

Amanteigados de laranja e alecrim
um tiquinho adaptado do ótimo e delicioso National Trust Simply Baking

- xícara medidora de 240ml

½ xícara (100g) de açúcar cristal
2 colheres (chá) de folhas de alecrim bem picadinhas – pique, depois meça
raspas da casca de 2 laranjas
1 xícara (225g) de manteiga sem sal, amolecida
1 colher (chá) de extrato de baunilha
340g de farinha de trigo - usei 290g de farinha de trigo comum + 50g desta farinha de painço, comprada na Casa Santa Luzia
1 pitada de sal

Pré-aqueça o forno a 180°C. Forre duas assadeiras grandes e rasas com papel manteiga.
Coloque o açúcar e o alecrim no processador de alimentos e processe até moer bem o alecrim. Transfira para a tigela da batedeira, junte as raspas de laranja e esfregue com as pontas dos dedos até o açúcar ficar aromatizado. Adicione a manteiga e a baunilha e bata até obter um creme claro. Em velocidade baixa, junte a farinha e o sal e bata até obter uma massa. Embrulhe em filme plástico e leve à geladeira por 20 minutos.

Coloque a massa entre duas folhas de papel manteiga e abra com o rolo até que a massa fique com aproximadamente 3mm de espessura. Usando um cortador quadrado de 4cm, corte os biscoitos – se a massa amolecer demais coloque-a no freezer por 5 minutos. Arrume os biscoitos nas formas preparadas deixando 2,5cm de distância entre um e outro e faça furinhos neles com um garfo. Asse até que dourem levemente nas extremidades, 10-12 minutos.
Deixe esfriar completamente nas assadeiras sobre uma gradinha.

Rend.: cerca de 60 biscoitos

terça-feira, novembro 11, 2014

Bolo de chocolate, coco e banana

English version

Chocolate, coconut and banana cake / Bolo de chocolate, banana e coco

Adoro coisas novas e tenho certeza de que não sou a única: se pensarmos em cinema, por exemplo, roteiristas e atores se tornam diretores, diretores atuam ou fazem cameos, e assim por diante. Mudar é bom, a variedade dá sabor à vida.

Enquanto alguns tem bastante sucesso trabalhando em áreas diferentes – eu acho que Antonio Banderas deveria dirigir mais depois que vi “Loucos do Alabama”, e não podemos esquecer que Quentin Tarantino foi roteirista antes de sentar atrás das câmeras – não posso dizer o mesmo sobre outros: comecei a ver o debut como diretor de Joseph Gordon-Levitt outro dia, mas o filme era tão ruim que mudei de canal após quinze minutos. Pobre menino, volte a atuar, ok? :)

Como eu disse, mudar é bom – exceto talvez para JGL? ;) – não somente no cinema como também na cozinha: este bolo delicioso, úmido e bem chocolatudo é feito sem ovos e ainda assim o resultado é ótimo pois a banana, além de agir como um substituto para os ovos, também dá um sabor maravilhoso ao bolo.

Não tenho intenção alguma de cortar ovos da minha dieta – eu amo ovo, gente – e essa nem foi a razão pela qual fiz o bolo: eu fiquei mesmo hipnotizada pela foto linda e tive de prepará-lo, especialmente porque a receita vem de um livro que eu adoro mais e mais a cada vez que cozinho algo dele.

Bolo de chocolate, coco e banana
bolo um nadinha adaptado do maravilhoso A Modern Way to Eat: Over 200 Satisfying, Everyday Vegetarian Recipes (That Will Make You Feel Amazing), cobertura do excelente Annie Bell's Baking Bible

- xícara medidora de 240ml

Bolo:
¾ xícara (105g) de farinha de trigo
1 ½ xícaras (150g) de farinha de amêndoa
1 xícara (95g) de cacau em pó, sem adição de açúcar
2 colheres (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
125g de manteiga sem sal, derretida e fria
150ml de xarope de bordo (maple syrup)
2 colheres (chá) de extrato de baunilha
150ml de leite de coco
50ml de leite integral, temperatura ambiente
1 banana grande, bem madura, amassada com o garfo

Cobertura:
100g de chocolate meio-amargo – usei um com 53% de cacau
25g de manteiga sem sal, temperatura ambiente
2 colheres (sopa) de leite integral, temperatura ambiente

Bolo: pré-aqueça o forno a 180°C. Unte uma forma redonda de 20x7cm, com fundo ou aro removível, forre o fundo com um círculo de papel manteiga e unte-o também.
Em uma tigela grande, misture a farinha de trigo, a farinha de amêndoa, o cacau, o fermento em pó e o sal com um batedor de arame. Faça um buraco no centro e adicione aos poucos a manteiga, o xarope de bordo, a baunilha, o leite de coco, o leite e a banana e misture bem.
Despeje a massa na forma preparada e leve ao forno por 35-40 minutos ou até que o bolo esteja firme no topo e um palito inserido no centro dele saia limpo – não se preocupe com as rachaduras no topo do bolo, a cobertura se encarregará de disfarçá-las.
Retire o bolo do forno e deixe esfriar completamente na forma sobre uma gradinha. Desenforme com cuidado, remova o papel e transfira o bolo para um prato de servir.

Cobertura: coloque o chocolate e a manteiga em uma tigela refratária pequena e leve ao banho-maria (fogo baixo), mexendo até derreterem. Retire do fogo, junte o leite e misture com um batedor de arame. Reserve por 5 minutos e então espalhe sobre o bolo já frio.

Rend.: 8 porções

sábado, novembro 08, 2014

Panquequinhas de ervilha

English version

Pea pancakes / Panquequinhas de ervilha

Tenho percebido que ultimamente quero comer legumes e verduras mais e mais a cada dia, em vez de carne: quanto mais vegetais consumo, mais quero consumi-los, de tudo quanto é jeito – toda vez que vejo uma receita vegetariana bacana quero fazê-la imediatamente.

(Dito isso, amanhã farei o rosbife do Jamie Oliver para o almoço. :D Meu marido viu um trechinho do programa outro dia enquanto eu assistia e ficou doido de vontade, incluindo todos os acompanhamentos, até mesmo os Yorkshire puddings – já fiz os yorkies do Jamie e eles são uma delícia).

De volta aos vegetais: vi estas panquequinhas no livro lindo da Valli Little e logo pensei que eles seriam um lanchinho muito do bom – eu tinha todos os ingredientes em casa para prepará-las, e ainda por cima ficariam prontas num instante, mesmo fazendo a ricota do zero, o que, aliás, é facílimo e recomendo muito que provem – duvido que comprem ricota novamente.

As panquequinhas ficaram deliciosas, leves e fofinhas, e eu as comi com sweet chili sauce seguindo a recomendação da autora – ela também sugere bacon para acompanhar as panquecas, mas mesmo sendo louca por bacon achei que não foi necessário aqui.

Panquequinhas de ervilha
um nadinha adaptadas do lindíssimo Delicious. Love to Cook

- xícara medidora de 240ml

120g de ervilhas congeladas
2 ovos
200g de ricota fresca – recomendo usar a caseira
¼ xícara de parmesão ralado fininho – rale, depois meça
1 colher (chá) de azeite de oliva + um pouquinho para fritar as panquecas
¼ xícara (45g) de farinha de trigo
¼ colher (chá) de fermento em pó
sal e pimenta do reino moída na hora
2 cebolinhas, só a parte branca, picadinhas

Cozinhe as ervilhas em água fervente com um pouquinho de sal por 5 minutos. Escorra e enxague com água fria, escorra novamente e reserve.
Coloque os ovos, a ricota, o parmesão, 1 colher (chá) de azeite, a farinha, o fermento, o sal e a pimenta em uma tigela grande e misture para incorporar. Junte as ervilhas e a cebolinha e misture. Cubra e leve à geladeira por 30 minutos.

Aqueça ½ colher (sopa) de azeite em uma frigideira antiaderente grande em fogo médio-alto. Coloque 2 colheres (sopa) cheias da mistura por bolinho na frigideira, deixando espaço entre as porções, e achate levemente até conseguir uma panquequinha de aproximadamente 1cm de espessura. Frite por 3 minutos de cada lado ou até que dourem.
Sirva imediatamente.

Rend.: 6 unidades

quarta-feira, novembro 05, 2014

Barrinhas de limão siciliano e coco e pensando sobre a minha comida

English version

Lemon and coconut Bakewell bars / Barrinhas de limão siciliano e coco

Às vezes fico pensando em como seria, para mim, cozinhar se não fosse a Internet: minha comida certamente seria diferente, eu não teria o blog e provavelmente também não teria tantos livros e revistas de receitas.

Aprendi muito sobre cozinha lendo todos os tipos de materiais (quem sabe um dia terei tempo e dinheiro para estudar o maravilhoso mundo da comida) e deparei com muitas coisas das quais nunca ouvira falar antes e duvido que conheceria tais coisas hoje se não fosse tanta leitura.

Por exemplo, antes de ter o blog eu não tinha ideia do que eram curds de frutas e hoje são favoritos meus, o de limão siciliano sendo o #1 (seguido de pertinho pelo de maracujá). Se a Internet não existisse, eu provavelmente não saberia nada sobre curds e o quão deliciosos são.

Sei que isso parece bobo, e provavelmente estou em um humor tolo hoje dando tanta importância a curds; só sei que são uma delícia e que a de limão siciliano combina incrivelmente bem com coco, como nestas barrinhas irresistíveis.

Lemon and coconut Bakewell bars / Barrinhas de limão siciliano e coco

Barrinhas de limão siciliano e coco
adaptadas do maravilhoso Feast: Food to Celebrate Life, inspiradas pelo delicioso John Whaite Bakes: Recipes for Every Day and Every Mood

Base:
145g de farinha de trigo
30g de açúcar de confeiteiro
1 pitada de sal
150g de manteiga sem sal, gelada e picada

Recheio:
100g de manteiga sem sal
2 ovos
100g de açúcar cristal
raspas da casca de 1 limão siciliano grande
½ colher (chá) de extrato de baunilha
100g de coco ralado sem açúcar
2/3 xícara de curd de limão siciliano – receita aqui

Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma forma quadrada de 20cm, forre-a com papel alumínio, deixando sobrar em dois lados opostos, formando “alças”. Unte o papel alumínio com manteiga.

Comece preparando a base: coloque a farinha, o açúcar de confeiteiro e o sal no processador de alimentos e pulse para combiná-los e remover quaisquer carocinhos. Junte a manteiga e processe até conseguir uma farofa grossa, que forme uma massa ao ser pressionada com as pontas dos dedos. Transfira a mistura para a forma preparada e pressione-a por toda a base da forma. Asse por 20 minutos ou até que a base comece a dourar.

Prepare a cobertura: derreta e manteiga e reserve. Coloque os ovos, o açúcar refinado, as raspas de casca de limão, a baunilha e o coco no processador de alimentos e processe até obter uma mistura homogênea.

Assim que a base estiver pronta, retire-a do forno e deixe esfriar por 5 minutos. Espalhe o curd sobre a base. Ligue o processador e, com o motor ligado, vá despejando a manteiga derretida sobre a mistura, processando até combinar. Despeje esta mistura sobre a camada de curd. Asse por 25-30 minutos ou até que a cobertura esteja dourada (faça o teste do palito). Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha. Corte em barrinhas para servir – as barrinhas são melhores quando servidas ainda mornas, mas também são deliciosas em temperatura ambiente.

Rend.: 16 unidades

domingo, novembro 02, 2014

Pão de pasta de curry vermelha e coco - o pão mais incomum que já fiz

English version

Red curry and coconut bread / Pão de pasta de curry vermelha e coco

Meses atrás comprei um livro bem interessante, cheio de receitas de pão e sopa, duas coisas que amo. Esperei ansiosa e pacientemente pelos dias frios do inverno, mas este ano eles não deram as caras por aqui: faz calor há tanto tempo que tenho a sensação de que o último verão ainda não acabou.

Por causa disso, adiei o plano de fazer as sopas deliciosas do livro e decidi focar nos pães: as receitas pareciam igualmente gostosas.

Comecei com o que achei o mais incomum deles, um pão feito com pasta de curry vermelha e coco – eu tinha um pouco de pasta na geladeira e fiquei curiosa para saber como ela daria sabor ao pão. O pão ficou mesmo bem incomum e eu admito que não é a praia de todo mundo, não: tem que ser fã de comida apimentada para gostar dele.

Achei que o pão ficou ótimo com uma sopinha de legumes simples (a temperatura caiu um dia depois de eu prepará-lo, acreditem se quiserem), mas o que eu achei mesmo um jeito incrível de consumir esse pão tão diferente foi transformá-lo em queijo quente – ficou realmente muito saboroso.

Pão de pasta de curry vermelha e coco
um nadinha adaptado do delicioso The Soup & Bread Cookbook: More Than 100 Seasonal Pairings for Simple, Satisfying Meals

- xícara medidora de 240ml

½ colher (sopa) rasa de fermento biológico seco
½ colher (sopa) de açúcar cristal
100ml de água morna
1/3 xícara (80ml) de leite de coco
1 ½ colheres (sopa) de pasta de curry vermelha
½ colher (chá) de sal
2 xícaras (280g) de farinha de trigo

Coloque o fermento, o açúcar e a água em uma tigela grande e misture com um garfo para incorporá-los. Reserve por 5 minutos ou até que espume. Junte o leite de coco, a pasta de curry, o sal e a farinha e misture até que uma massa comece a se formar. Cubra e reserve por 15 minutos.

Sove a massa por cerca de 10 minutos (ou 5 na batedeira) ou até obter uma massa lisa e elástica. Coloque em uma tigela grande levemente pincelada com óleo, cubra com filme plástico e deixe em um lugar morninho por 1 hora ou até dobrar de volume.

Unte com manteiga uma forma de bolo inglês com capacidade para 6 xícaras de massa (21x11cm). Transfira a massa para uma superfície levemente enfarinhada e abra com um rolo formando um retângulo de 20x30cm. Enrole, formando um cilindro apertado, e coloque na forma preparada. Cubra e deixe crescer novamente por 45 minutos – enquanto isso, pré-aqueça o forno a 200°C.

Asse até que o pão cresça e doure e haja um som de oco ao bater com os nós dos dedos na parte inferior do pão. Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 5 minutos, e então desenforme com cuidado e transfira para a gradinha. Deixe esfriar completamente.

Rend.: 1 filão

sexta-feira, outubro 31, 2014

Quibes de peixe - um jeito gostoso e saudável de comer peixe

English version

Fish kibbeh / Quibes de peixe

Uns posts atrás lhes disse que em minha opinião há dias para chocolate, creme de leite e mais outras coisinhas doces e realmente acredito nisso, mas nem mesmo eu consigo comer esse tipo de comida todo dia: eu sinto falta de saladas, legumes, peixe e grãos sempre e me sinto muito bem quando os consumo.

Sempre fico interessada em novos jeitos de cozinhar peixe diferentes de como minha mãe fazia quando eu era criança: empanado em fubá e frito, o que é uma delícia, mas não muito saudável (evito fritura aqui em casa a qualquer custo, e não somente por razões de saúde).

Meu marido também adora o peixinho no fubá, mas ele se dispõe a provar peixe de outros jeitos e final de semana passado preparei uma das receitas do Hugh Fearnley-Whittingstall em que o peixe é coberto com especiarias como páprica e cominho e refogado com ervilhas – foi um sucesso. Semanas antes disso, eu preparara o quibe de peixe da Rita Lobo e este foi igualmente bem aceito: eu sendo eu mudei um pouquinho a receita, adicionando mais raspas de limão, trocando as nozes por amêndoas e modelando a mistura em quibinhos em vez de apertá-la na assadeira.

Meu marido e minha irmã adoraram os quibes e eu achei um ótimo jeito de consumir peixe.

Quibes de peixe
um nadinha adaptados do lindíssimo Pitadas da Rita

- xícara medidora de 240ml

1 colher (sopa) de azeite de oliva
2 cebolas pequenas, cortadas em meias-luas bem fininhas
sal e pimenta do reino moída na hora
1 pitada de açúcar
1 xícara de trigo para quibe
500g de filé de pescada branca
1 punhado de folhas de salsinha
raspas da casca de 2 limões taiti
1/3 xícara de amêndoas em fatias, bem picadinhas
1/3 xícara (80ml) de água
¼ colher (chá) de pimenta síria
azeite de oliva extra-virgem, para regar
fatias de limão taiti, para servir

Pré-aqueça o forno a 180°C. Forre uma assadeira grande com papel alumínio e unte-o com azeite.
Em uma frigideira antiaderente grande, aqueça 1 colher (sopa) do azeite e junte as cebolas. Salpique com sal e com o açúcar e refogue, mexendo ocasionalmente, até que as cebolas caramelizem, cerca de 15 minutos. Deixe esfriar.
Forre um escorredor com um pano de prato limpo e seco e despeje nele o trigo. Enxague com água fria, escorra e esprema o pano até remover todo o excesso de água do trigo.
No processador, processe o peixe e a salsinha até ficarem bem picadinhos. Transfira para uma tigela grande, junte as cebolas, o trigo, as raspas de limão, as amêndoas e a água e misture. Tempere com a pimenta síria, o sal e a pimenta do reino.
Usando 1 ½ colheres (sopa) de mistura por quibe, molde-os com as mãos e arrume-os na assadeira preparada, deixando 5cm de distância entre um e outro. Regue generosamente com o azeite extra-virgem e leve ao forno por 20-25 minutos, virando-os na metade do tempo, ou até que dourem e estejam cozidos por dentro. Sirva imediatamente com as fatias de limão.

Rend.: cerca de 20 unidades

segunda-feira, outubro 27, 2014

Bolo de leite e baunilha e adeus, Linden e Holder

English version

Vanilla milk cake / Bolo de leite e baunilha

Dias atrás terminei de assistir à última temporada de “The Killing” e fiquei feliz e triste ao mesmo tempo: feliz porque a qualidade que vi em todo o seriado desde o começo estava presente naqueles últimos seis episódios, e o final foi de uma lindeza tão ímpar que me fez chorar feito um bebê, e triste porque agora dois dos meus personagens favoritos se foram para sempre – não tem mais o cabelo vermelho lindo de Sarah, acabaram-se as pérolas de sabedoria de Stephen Holder.

Sei que seriados não duram para sempre e é melhor acabar com qualidade, por cima, do que caindo pelas tabelas com episódios ruins, mas “The Killing” nunca teve mesmo uma boa chance: se não fosse pelo Netflix nem teríamos a quarta temporada e tudo teria ficado jogado, sem final. Uma série tão bem escrita, com atuações e direção tão incríveis deveria ter ficado no ar por mais tempo, mas já reclamei disso antes.

Enquanto me preparava para me despedir de Linder e Holder, decidi que uma fatia de bolo cairia bem: eu precisava de um docinho para acalmar os nervos (e depois de ver os episódios soube que tomara a decisão certa, que temporada maravilhosa e angustiante, gente). Este bolo simples, delicioso servido sozinho com uma xícara de café ou chá, também foi transformado em uma sobremesa saborosa servido com chantilly e morangos – recomendo muito tanto de um jeito quanto do outro.

Bolo de leite e baunilha
um nadinha adaptado do lindo e delicioso Baking Style: Art Craft Recipes

- xícara medidora de 240ml

Bolo:
1 ½ xícaras (210g) de farinha de trigo
3 colheres (sopa) - 30g - de amido de milho
¼ colher (chá) de sal
3 colheres (sopa) de sementes de papoula - foram trazidas de viagens, não comprei aqui
½ xícara (113g) de manteiga sem sal, picada
1 xícara (240ml) de leite integral
4 ovos grandes
1 ¾ xícaras (350g) de açúcar cristal
1 colher (sopa) de extrato de baunilha
1 colher (chá) de fermento em pó

Glacê:
1 xícara (140g) de açúcar de confeiteiro (usei impalpável)
1-2 colheres (sopa) de leite integral

Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte generosamente com manteiga e enfarinhe uma forma de furo central com capacidade para 10 xícaras de massa.
Em uma tigela média, peneire a farinha, o amido de milho e o sal. Junte as sementes de papoula.
Coloque a manteiga e o leite em uma panelinha e leve ao fogo médio até que a manteiga derreta e a mistura comece a ferver – enquanto isso, bata os ovos na batedeira por 2 minutos. Junte o açúcar aos poucos, batendo, até obter uma mistura clara. Junte a baunilha.
Em velocidade baixa, acrescente os ingredientes secos em duas adições, batendo somente até incorporar. Ainda em velocidade baixa, vá acrescentando a mistura de leite quente aos poucos, batendo, até incorporar completamente (raspe as laterais da tigela). Imediatamente junte o fermento, misture e despeje a massa na forma. Asse por cerca de 1 hora ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito). Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 20 minutos e então desenforme com cuidado sobre a gradinha. Deixe esfriar completamente.

Glacê: peneire o açúcar em uma tigela pequena. Junte o leite aos poucos, misturando até obter a consistência desejada (junte mais leite se necessário). Espalhe sobre o bolo já frio e deixe secar por 15 minutos.

Rend.: 10-12 minutos.

quinta-feira, outubro 23, 2014

Pasta e fagioli (sopa de feijão e macarrão)

English version

Pasta e fagiole

Fiz essa sopa semanas atrás – duas vezes, na verdade – e ficou tão gostosa que eu me esbaldei com ela, mas desde então os dias tem sido tão quentes aqui em São Paulo que não publiquei a receita no blog: é difícil até mesmo pensar em sopa quente quando faz 35°C lá fora. :S

Agora que a temperatura está mais razoável, lhes trago, feliz da vida, a pasta e fagioli do Antonio Carluccio, e tenho certeza de que quem estiver no Hemisfério Norte vai gostar de uma receita boa de sopa agora. :)

Esta receita se tornou uma das minhas sopas favoritas, tão fácil de fazer – especialmente se vocês tiverem feijão cozido no freezer, o que eu recomendo muito –, tão saborosa e reconfortante, e fica mais gostosa ainda no dia seguinte: o que fiz diferente da receita abaixo na segunda vez foi cozinhar o macarrão separadamente e adicioná-lo às tigelas na hora de servir, evitando assim que o macarrão inchasse demais na sopa que sobrou.

Pasta e fagioli
um nadinha adaptado do delicioso e lindo Pasta: The Essential New Collection from the Master of Italian Cookery

400g de feijão carioca, colocado de molho de um dia para outro
1 ½ colheres (sopa) de azeite de oliva
100g de bacon em cubinhos pequenos
½ cebola bem picadinha
1 cenoura pequena, bem picadinha
2 dentes de alho, amassados e picadinhos
2 tomates maduros picados
100g de tomates cerejas cortados ao meio
1 litro de caldo de legumes
150g de macarrãozinho miúdo (tipo Ave-Maria)
sal e pimento do reino moída na hora
1 punhado de salsinha picada
pecorino ou parmesão, para servir – rale na hora

Escorra os feijões, transfira para uma panela média e cubra com água fria (não adicione sal). Cozinhe por 1 hora e meia ou até os feijões estejam macios. Escorra e processe metade dos feijões no processador até obter uma pasta.
Em uma panela grande, aqueça o azeite em fogo médio-alto. Junte o bacon e frite até ficar crocante. Junte a cebola e a cenoura e cozinhe até a cebola ficar translúcida. Junte o alho e refogue até perfumar. Acrescente os tomates picados e os tomates cereja, o caldo e deixe começar a ferver. Junte os feijões (em creme e inteiros) e o macarrão e cozinhe por cerca de 10 minutos ou até que o macarrão esteja macio (mas não mole demais). Tempere com sal e pimenta e misture a salsinha.
Divida a sopa em tigelinhas e sirva polvilhada com queijo ralado na hora.

Rend.: 4 porções

Related Posts with Thumbnails