sexta-feira, outubro 31, 2014

Quibes de peixe - um jeito gostoso e saudável de comer peixe

English version

Fish kibbeh / Quibes de peixe

Uns posts atrás lhes disse que em minha opinião há dias para chocolate, creme de leite e mais outras coisinhas doces e realmente acredito nisso, mas nem mesmo eu consigo comer esse tipo de comida todo dia: eu sinto falta de saladas, legumes, peixe e grãos sempre e me sinto muito bem quando os consumo.

Sempre fico interessada em novos jeitos de cozinhar peixe diferentes de como minha mãe fazia quando eu era criança: empanado em fubá e frito, o que é uma delícia, mas não muito saudável (evito fritura aqui em casa a qualquer custo, e não somente por razões de saúde).

Meu marido também adora o peixinho no fubá, mas ele se dispõe a provar peixe de outros jeitos e final de semana passado preparei uma das receitas do Hugh Fearnley-Whittingstall em que o peixe é coberto com especiarias como páprica e cominho e refogado com ervilhas – foi um sucesso. Semanas antes disso, eu preparara o quibe de peixe da Rita Lobo e este foi igualmente bem aceito: eu sendo eu mudei um pouquinho a receita, adicionando mais raspas de limão, trocando as nozes por amêndoas e modelando a mistura em quibinhos em vez de apertá-la na assadeira.

Meu marido e minha irmã adoraram os quibes e eu achei um ótimo jeito de consumir peixe.

Quibes de peixe
um nadinha adaptados da linda Rita Lobo

- xícara medidora de 240ml

1 colher (sopa) de azeite de oliva
2 cebolas pequenas, cortadas em meias-luas bem fininhas
sal e pimenta do reino moída na hora
1 pitada de açúcar
1 xícara de trigo para quibe
500g de filé de pescada branca
1 punhado de folhas de salsinha
raspas da casca de 2 limões taiti
1/3 xícara de amêndoas em fatias, bem picadinhas
1/3 xícara (80ml) de água
¼ colher (chá) de pimenta síria
azeite de oliva extra-virgem, para regar
fatias de limão taiti, para servir

Pré-aqueça o forno a 180°C. Forre uma assadeira grande com papel alumínio e unte-o com azeite.
Em uma frigideira antiaderente grande, aqueça 1 colher (sopa) do azeite e junte as cebolas. Salpique com sal e com o açúcar e refogue, mexendo ocasionalmente, até que as cebolas caramelizem, cerca de 15 minutos. Deixe esfriar.
Forre um escorredor com um pano de prato limpo e seco e despeje nele o trigo. Enxague com água fria, escorra e esprema o pano até remover todo o excesso de água do trigo.
No processador, processe o peixe e a salsinha até ficarem bem picadinhos. Transfira para uma tigela grande, junte as cebolas, o trigo, as raspas de limão, as amêndoas e a água e misture. Tempere com a pimenta síria, o sal e a pimenta do reino.
Usando 1 ½ colheres (sopa) de mistura por quibe, molde-os com as mãos e arrume-os na assadeira preparada, deixando 5cm de distância entre um e outro. Regue generosamente com o azeite extra-virgem e leve ao forno por 20-25 minutos, virando-os na metade do tempo, ou até que dourem e estejam cozidos por dentro. Sirva imediatamente com as fatias de limão.

Rend.: cerca de 20 unidades

segunda-feira, outubro 27, 2014

Bolo de leite e baunilha e adeus, Linden e Holder

English version

Vanilla milk cake / Bolo de leite e baunilha

Dias atrás terminei de assistir à última temporada de “The Killing” e fiquei feliz e triste ao mesmo tempo: feliz porque a qualidade que vi em todo o seriado desde o começo estava presente naqueles últimos seis episódios, e o final foi de uma lindeza tão ímpar que me fez chorar feito um bebê, e triste porque agora dois dos meus personagens favoritos se foram para sempre – não tem mais o cabelo vermelho lindo de Sarah, acabaram-se as pérolas de sabedoria de Stephen Holder.

Sei que seriados não duram para sempre e é melhor acabar com qualidade, por cima, do que caindo pelas tabelas com episódios ruins, mas “The Killing” nunca teve mesmo uma boa chance: se não fosse pelo Netflix nem teríamos a quarta temporada e tudo teria ficado jogado, sem final. Uma série tão bem escrita, com atuações e direção tão incríveis deveria ter ficado no ar por mais tempo, mas já reclamei disso antes.

Enquanto me preparava para me despedir de Linder e Holder, decidi que uma fatia de bolo cairia bem: eu precisava de um docinho para acalmar os nervos (e depois de ver os episódios soube que tomara a decisão certa, que temporada maravilhosa e angustiante, gente). Este bolo simples, delicioso servido sozinho com uma xícara de café ou chá, também foi transformado em uma sobremesa saborosa servido com chantilly e morangos – recomendo muito tanto de um jeito quanto do outro.

Bolo de leite e baunilha
um nadinha adaptado do lindo e delicioso Baking Style: Art Craft Recipes

- xícara medidora de 240ml

Bolo:
1 ½ xícaras (210g) de farinha de trigo
3 colheres (sopa) - 30g - de amido de milho
¼ colher (chá) de sal
3 colheres (sopa) de sementes de papoula - foram trazidas de viagens, não comprei aqui
½ xícara (113g) de manteiga sem sal, picada
1 xícara (240ml) de leite integral
4 ovos grandes
1 ¾ xícaras (350g) de açúcar cristal
1 colher (sopa) de extrato de baunilha
1 colher (chá) de fermento em pó

Glacê:
1 xícara (140g) de açúcar de confeiteiro (usei impalpável)
1-2 colheres (sopa) de leite integral

Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte generosamente com manteiga e enfarinhe uma forma de furo central com capacidade para 10 xícaras de massa.
Em uma tigela média, peneire a farinha, o amido de milho e o sal. Junte as sementes de papoula.
Coloque a manteiga e o leite em uma panelinha e leve ao fogo médio até que a manteiga derreta e a mistura comece a ferver – enquanto isso, bata os ovos na batedeira por 2 minutos. Junte o açúcar aos poucos, batendo, até obter uma mistura clara. Junte a baunilha.
Em velocidade baixa, acrescente os ingredientes secos em duas adições, batendo somente até incorporar. Ainda em velocidade baixa, vá acrescentando a mistura de leite quente aos poucos, batendo, até incorporar completamente (raspe as laterais da tigela). Imediatamente junte o fermento, misture e despeje a massa na forma. Asse por cerca de 1 hora ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito). Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 20 minutos e então desenforme com cuidado sobre a gradinha. Deixe esfriar completamente.

Glacê: peneire o açúcar em uma tigela pequena. Junte o leite aos poucos, misturando até obter a consistência desejada (junte mais leite se necessário). Espalhe sobre o bolo já frio e deixe secar por 15 minutos.

Rend.: 10-12 minutos.

quinta-feira, outubro 23, 2014

Pasta e fagioli (sopa de feijão e macarrão)

English version

Pasta e fagiole

Fiz essa sopa semanas atrás – duas vezes, na verdade – e ficou tão gostosa que eu me esbaldei com ela, mas desde então os dias tem sido tão quentes aqui em São Paulo que não publiquei a receita no blog: é difícil até mesmo pensar em sopa quente quando faz 35°C lá fora. :S

Agora que a temperatura está mais razoável, lhes trago, feliz da vida, a pasta e fagioli do Antonio Carluccio, e tenho certeza de que quem estiver no Hemisfério Norte vai gostar de uma receita boa de sopa agora. :)

Esta receita se tornou uma das minhas sopas favoritas, tão fácil de fazer – especialmente se vocês tiverem feijão cozido no freezer, o que eu recomendo muito –, tão saborosa e reconfortante, e fica mais gostosa ainda no dia seguinte: o que fiz diferente da receita abaixo na segunda vez foi cozinhar o macarrão separadamente e adicioná-lo às tigelas na hora de servir, evitando assim que o macarrão inchasse demais na sopa que sobrou.

Pasta e fagioli
um nadinha adaptado do delicioso e lindo Pasta: The Essential New Collection from the Master of Italian Cookery

400g de feijão carioca, colocado de molho de um dia para outro
1 ½ colheres (sopa) de azeite de oliva
100g de bacon em cubinhos pequenos
½ cebola bem picadinha
1 cenoura pequena, bem picadinha
2 dentes de alho, amassados e picadinhos
2 tomates maduros picados
100g de tomates cerejas cortados ao meio
1 litro de caldo de legumes
150g de macarrãozinho miúdo (tipo Ave-Maria)
sal e pimento do reino moída na hora
1 punhado de salsinha picada
pecorino ou parmesão, para servir – rale na hora

Escorra os feijões, transfira para uma panela média e cubra com água fria (não adicione sal). Cozinhe por 1 hora e meia ou até os feijões estejam macios. Escorra e processe metade dos feijões no processador até obter uma pasta.
Em uma panela grande, aqueça o azeite em fogo médio-alto. Junte o bacon e frite até ficar crocante. Junte a cebola e a cenoura e cozinhe até a cebola ficar translúcida. Junte o alho e refogue até perfumar. Acrescente os tomates picados e os tomates cereja, o caldo e deixe começar a ferver. Junte os feijões (em creme e inteiros) e o macarrão e cozinhe por cerca de 10 minutos ou até que o macarrão esteja macio (mas não mole demais). Tempere com sal e pimenta e misture a salsinha.
Divida a sopa em tigelinhas e sirva polvilhada com queijo ralado na hora.

Rend.: 4 porções

domingo, outubro 19, 2014

Bolo de limão siciliano e amora - bolo com cara de primavera

English version

Lemon blackberry cake / Bolo de limão siciliano e amora

Se para mim é meio difícil fazer bolos de banana, não posso dizer o mesmo de bolos de limão, não? ;)

É muito raro não ter limões sicilianos em casa, especialmente porque os uso para muitas outras coisas além de bolos, e gosto tanto da fruta que meu marido sempre traz dois, três limões sicilianos quando vai ao mercado.

Acrescentar frutas vermelhas congeladas a bolos é uma ótima ideia como vimos aqui no blog ultimamente, e neste caso as amoras dão um toque todo diferente a um bolo simples de limão - um bolo molhadinho e azedinho, tão fácil de comer quanto de fazer (o meu acabou bem rápido). :)

Bolo de limão siciliano e amora
um nadinha adaptado do lindíssimo Indulgent Cakes

- xícara medidora de 240ml

Bolo:
¾ xícara (150g) de açúcar cristal
raspas da casca de 2 limões sicilianos
125g de manteiga sem sal, amolecida
2 ovos
½ colher (chá) de extrato de baunilha
1 xícara + 1 colher (sopa) - 150g - de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
½ xícara (50g) de farinha de amêndoa
125g de creme azedo (sour cream)*
150g de amoras congeladas

Calda:
3 colher (sopa)s de açúcar cristal
¼ xícara (60ml) de suco de limão siciliano
½ colher (sopa) de água

Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma forma de bolo inglês de 20x10cm, com capacidade para 6 xícaras de massa, forre com papel manteiga e unte o papel também.

Em uma tigela grande, misture o açúcar e as raspas de casca de limão e esfregue-os com as pontas dos dedos até o açúcar ficar aromatizado. Junte a manteiga e bata com a batedeira até obter um creme claro e fofo. Acrescente os ovos, um a um, e raspe as laterais da tigela. Junte a baunilha. Com uma espátula de silicone, misturando gentilmente de baixo para cima, incorpore a farinha de trigo, o fermento, o sal, a farinha de amêndoa e o creme azedo.
Despeje metade da massa na forma e salpique com metade das amoras. Cubra com a massa restante e alise a superfície. Salpique com o restante das amoras e bata a forma levemente na pia para que a massa se ajeite dentro dela. Asse por 50-60 minutos ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito).

Deixe esfriar por 10 minutos – enquanto isso, faça a calda: em uma panelinha, misture todos os ingredientes e leve ao fogo médio, mexendo, até dissolver o açúcar. Deixe começar a ferver, abaixe o fogo e ferva por 2 minutos. Derrame a calda quente sobre o bolo aos poucos, para que seja absorvida. Deixe esfriar completamente na forma.
Desenforme com cuidado, remova o papel e sirva.

Rend.: 8 porções

quinta-feira, outubro 16, 2014

Potinhos de chocolate e doce de leite

English version

Dark chocolate and dulce de leche puddings / Potinhos de chocolate e doce de leite

Pelos comentários e emails de vocês acho que tem gostado das receitas mais saudáveis que tenho postado por aqui nos últimos meses, e isso me deixa bem feliz – acho que comer melhor tem se tornado cada vez mais importante para muita gente, até para os jovens como minha irmã.

Entretanto, sei que não estou sozinha quando digo que certas situações pedem doces pecaminosos: uma comemoração, amigos vindo para jantar, um coração partido – estes não são momentos para se pensar em valores nutricionais, estes são momentos para manteiga, creme de leite, chocolate, ou todos eles juntos.

Vocês podem ir em frente e adicionar doce de leite à lista, também – por que não? :D

Todos esses ingredientes estão combinados nestes potinhos e eles são uma delícia, mas bastante encorpados, estejam avisados; também são ótimos para quando se tem visita: é só montá-los, deixar na geladeira e colocar no forno na hora de servir: eles ficam prontos em poucos minutos.

Potinhos de chocolate e doce de leite
da sempre fantástica revista Donna Hay

- xícara medidora de 240ml

1 lata (380g) de doce de leite
1/3 xícara (80ml) de creme de leite
200g de chocolate amargo picadinho
¼ xícara (56g) de manteiga sem sal
3 ovos
½ xícara (88g) de açúcar mascavo – aperte-o na xícara na hora de medir
1 colher (chá) de extrato de baunilha
½ xícara (50g) de farinha de amêndoa
1 pitada de sal

Pré-aqueça o forno a 200°C. Coloque o doce de leite em uma tigela e misture com um batedor de arame até ficar cremoso. Junte o creme de leite e misture. Divida a mistura entre 8 potinhos refratários com capacidade para 1 xícara (240ml) cada.

Junte o chocolate e a manteiga em uma tigela grande e leve ao banho-maria (fogo baixo, sem que a tigela toque a água) até derreter. Deixe esfriar levemente. Na batedeira, bata os ovos, o açúcar e a baunilha até obter a mistura ficar clara e fofa e dobrar de volume. Junte a mistura de chocolate, a farinha de amêndoa e o sal e misture gentilmente, de baixo para cima, com uma espátula. Divida a mistura entre os potinhos, cobrindo o doce de leite. Coloque os potinhos em uma assadeira grande e rasa e leve ao forno por 12-15 minutos ou até que cresçam (o centro ainda estará molinho) – não asse demais ou a mistura pode derramar.
Reserve por 5 minutos e sirva.

Rend.: 8 porções

segunda-feira, outubro 13, 2014

Waffles de banana com calda de chocolate

English version

Banana waffles with chocolate sauce / Waffles de banana com calda de chocolate

Minha irmã veio me ver outro dia e passou a tarde aqui comigo, mas desta vez, em vez de Super Mario, sugeri que víssemos “A Fantástica Fábrica de Chocolate”, pois ela nunca assistira à versão original de 1971 – sou suspeitíssima para falar, é um dos meus filmes favoritos da vida e não consigo aceitar a ideia de outro Willy Wonka que não Gene Wilder (desculpe, Johnny, mas você estava péssimo naquele filme e estragou o personagem). :)

Ela adorou o filme – o que não foi nenhuma surpresa para mim – mas em certo momento ela me disse que estava difícil assistir sem nada para beliscar: todo aquele chocolate fez minha irmã querer um docinho, e já que nosso almoço tinha sido leve achei que waffles seriam uma boa pedida.

Usei a receita de waffles de banana do Richie – um blog lindo, um dos meus favoritos –, mas em vez de adicionar chocolate picado à massa fiz uma caldinha para derramar sobre os waffles, aquela caldinha de bolo de cenoura de mãe que todo mundo adora – Willy Wonka ficaria orgulhoso. ;)

Waffles de banana com calda de chocolate
um nadinha adaptados do querido Richie

Waffles:
1 xícara (140g) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de açúcar cristal
½ colher (sopa) de fermento em pó
½ colher (chá) de canela em pó
¼ colher (chá) de sal
200ml de leite integral, temperatura ambiente
1 banana média amassada
3 colheres (sopa) de óleo de canola
1 ovo grande
1 colher (chá) de extrato de baunilha

Calda de chocolate:
2 colheres (sopa) de cacau em pó, sem adição de açúcar
2 colheres (sopa) de açúcar cristal
1 colher (sopa) de manteiga sem sal
2 colheres (sopa) de leite integral

Waffles: misture todos os ingredientes em uma tigela grande até conseguir uma massa uniforme. Deixe descansar por 5 minutos.
Aqueça a máquina de waffle e pincele levemente com manteiga. Derrame aproximadamente 1/3 de xícara de massa por waffle, feche a máquina e cozinhe conforme o manual (até dourar e firmar).

Calda: misture todos os ingredientes em uma panelinha e cozinhe em fogo alto, mexendo sempre, até que comece a ferver. Cozinhe por mais 2-3 minutos, mexendo, até engrossar levemente. Retire do fogo, reserve por 5 minutos e então sirva sobre os waffles.

Rend.: 4 porções

sábado, outubro 11, 2014

Bolo de banana, gengibre e mel

English version

Banana, ginger and honey cake / Bolo de banana, gengibre e mel

Por mais que eu ame bolos de banana, às vezes passam-se meses sem que eu prepare algum – aqui em casa somos comedores compulsivos da fruta, acabamos com todas as bananas antes que elas fiquem bem maduras, nem tenho chance de fazer nada com elas.

Aqui ninguém tem câimbras, lhes garanto. :D

Semana passada comprei uma penca gigante de bananas e apesar de termos comido várias ainda sobraram duas no final, bem sardentas e já ficando marrons, perfeitas para serem transformadas em bolo. Uma receita do livro novo da Rachel Allen foi a maneira perfeita de usar aquelas bananas ótimas, mas eu adaptei um pouquinho para usar mel em vez de glucose de milho (explicação aqui).

O bolo ficou uma delícia no dia em que o preparei, ainda fresquinho do forno, mas tenho de lhes dizer que, como a Rita Lobo comentou em seu lindo programa esta semana, bolo de banana fica mesmo incrível tostado, com uma manteiguinha derretida por cima. :)

Bolo de banana, gengibre e mel
um tiquinho adaptado do delicioso All Things Sweet

- xícara medidora de 240ml

110g de manteiga sem sal, amolecida
½ xícara (44g) de açúcar mascavo claro – aperte-o na xícara na hora de medir
100g de mel
2 ovos
1 colher (chá) de extrato de baunilha
100g de farinha de trigo
50g de farinha de trigo integral
2 colheres (chá) de fermento em pó
2 colheres (chá)s de gengibre em pó
1 pitada de sal
2 bananas médias bem maduras, amassadas

Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma forma de bolo inglês com capacidade para 5 ½ xícaras de massa, forre com papel manteiga e unte o papel também.
Em uma tigela grande, usando a batedeira, bata a manteiga até ficar cremosa. Junte o açúcar e o mel e bata até obter um creme claro e fofo. Junte os ovos, um a um, batendo (a mistura pode parecer talhada, não tem problema). Junte a baunilha e bata. Peneire as farinhas, o fermento, o gengibre e o sal sobre a massa e misture de baixo para cima, com uma espátula de silicone. Junte a banana e misture. Transfira a massa para a forma preparada e asse por cerca de 45 minutos ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito).
Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 25 minutos, e então desenforme com cuidado, transfira para a gradinha e deixe esfriar completamente. Retire o papel e sirva.

Rend.: 8 porções

quarta-feira, outubro 08, 2014

Biscoitos de aveia com chocolate

English version

Chocolate oaties / Biscoitos de aveia com chocolate

Adoro aveia desde a adolescência e meu jeito favorito de comer o ingrediente é salpicá-lo sobre banana amassada com um fiozinho de mel – um lanchinho doce, gostoso e saudável; isso sem contar também que aveia faz bem demais para quem precisa de ferro ou diminuir o colesterol ruim.

Além de banana amassada, biscoitos com aveia tem um lugar especial no meu coração (uma rápida olhada no índice do blog e verão que não estou mentindo). :D Por isso, sempre fico interessada em receitas novas de biscoitos de aveia, e a que lhes trago hoje é perfeita para dias de pressa, sem tempo de esperar a manteiga amolecer.

Se vocês estiverem correndo como eu estava, podem assar os biscoitos num dia, guardá-los em um recipiente hermético bem fechado e pincelá-los com o chocolate em um outro momento – eu pensei em fazer biscoitos recheados com ganache, mas não quis sair só para comprar creme de leite.

Deixo-os agora com esta sugestão. ;)

Biscoitos de aveia com chocolate
um tiquinho adaptados da revista Good Housekeeping

150g de farinha de trigo
¾ colher (chá) de fermento em pó
½ colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
125g de açúcar mascavo claro
125g de aveia em flocos
125g de manteiga sem sal
1 colher (sopa) de mel
70g de chocolate meio-amargo, derretido

Pré-aqueça o forno a 180°C. Forre duas assadeiras grandes e rasas com papel manteiga.
Em uma tigela, misture a farinha, o fermento, o bicarbonato, o sal, o açúcar e a aveia. Em uma panelinha, derreta juntos a manteiga e o mel em fogo médio. Despeje sobre os ingredientes secos e misture até obter uma massa.
Faça bolinhas com 1 colher (sopa) nivelada de massa por biscoito e coloque-os nas assadeiras preparadas, deixando 5cm de distância entre uma bolinha e outra. Asse por cerca de 12 minutos ou até que os biscoitos dourem nas extremidades e estejam ligeiramente firmes. Escorregue o papel com os cookies para uma gradinha e deixe esfriar completamente.
Com um pincel, pinte metade de cada biscoito com o chocolate derretido. Transfira para uma gradinha e deixe secar.

Rend.: cerca de 30 unidades

segunda-feira, outubro 06, 2014

Torta de salmão com ervilha - transformando um pedaço de peixe em algo delicioso

English version

Sweet pea salmon pie / Torta de salmão e ervilha

Conversando com meu marido outro dia sobre comida, chegamos novamente à conclusão de que não comemos peixe tanto quanto deveríamos, o que é uma pena.

Não fiz nenhuma promessa, pois quebrá-las me deixa frustrada e não preciso disso no momento – em vez disso, decidi fazer salmão para o almoço: temperado com raspas e suco de limão siciliano, sal e pimenta, assado sobre uma caminha de alho-poró – bem simples, mas bem gostoso.

Fiquei com mais ou menos 200g de salmão na geladeira e não queria cozinhá-lo da mesma forma dois dias seguidos, por isso o usei para preparar a torta de peixe do Jamie Oliver – ele usa uma combinação de salmão, peixe de carne branca e camarão, mas fiz a minha torta só com salmão, pois era o que tinha em casa. Também reduzi drasticamente a receita, pois a original serve oito pessoas.

Foi minha primeira torta de peixe e quando a coloquei no forno a cara e o cheiro estavam ótimos. Meu marido estava no trabalho, então mandei um torpedo para minha irmã, perguntando o que ela achava de torta de peixe para o almoço – eu sabia que ela nunca comera torta de peixe, por isso descrevi o prato para ela, e a resposta foi: “nunca comi, mas adoro tudo que tem nela – estou indo!”. :D

A torta ficou uma delícia e apesar da cobertura de purê de batata achei um prato leve – nós a devoramos e não ficamos com aquela sensação de termos comido demais.

Torta de salmão com ervilha
um tiquinho adaptada do delicioso Save with Jamie (aqui para quem quer o livro em português)

- xícara medidora de 240ml

250g de batatas
½ limão siciliano
10g de manteiga sem sal
100g de ervilhas congeladas
1 cenoura pequena
½ cebola
azeite de oliva
1 xícara (240ml) de leite integral
200g de salmão
1 colher (sopa) de farinha de trigo
25g de espinafre congelado
1 pitada de noz-moscada ralada na hora
sal e pimenta do reino moída na hora

Pré-aqueça o forno a 180°C. Descasque as batatas e corte em pedaços pequenos. Coloque em uma panelinha de água salgada e fervente e cozinhe por 10-15 minutos ou até que fiquem macias. Escorra e amasse com uma pitada de sal e pimenta do reino, as raspas do limão e a manteiga, formando um purê.
Coloque as ervilhas em uma peneira e derrame água fervente sobre elas, para descongelá-las. Escorra bem e triture em um processador. Misture-as ao purê, criando um efeito marmorizado. Reserve.

Corte a cenoura e a cebola em pedaços pequenos e coloque-os em um refratário largo com capacidade para 2 ½ xícaras (600ml), regue com um pouquinho de azeite e leve ao forno, mexendo de vez em quando, até que amoleçam, mas sem dourar, cerca de 15 minutos.

Enquanto isso, aqueça o leite em uma panelinha em fogo médio. Quando começar a ferver, junte o salmão e cozinhe por volta de 10 minutos ou até o peixe estar cozido. Retire o peixe do leite e reserve-os separadamente. Remova a pele do salmão.

Acrescente a farinha aos legumes no refratário e aos poucos acrescente metade do leite, mexendo sempre, até que comece a engrossar (descarte o resto do leite). Junte o espinafre, mexendo para que ele descongele, e tempere com sal, pimenta do reino e noz-moscada. Desmanche o peixe com as pontas dos dedos e junte ao recheio, adicionando também o suco de metade do limão. Misture.

Cubra o recheio com o purê de batata e ervilha e alise a superfície. Com uma colher ou garfo, faça marquinhas sobre o purê. Asse por 25-35 minutos ou até que o topo doure levemente e o recheio esteja borbulhando.

Rend.: 2 porções

sexta-feira, outubro 03, 2014

Bolinhos de cenoura (com farinha de grão de bico)

English version

Carrot pancakes (with chickpea flour) / Bolinhos de cenoura (com farinha de grão de bico)

Acho bolinhos uma ótima maneira de adicionar legumes, verduras e grãos às refeições: eles são deliciosos servidos sozinhos, como um petisco ou entrada, ou com uma salada para um almoço ou jantar leve. Considero cenouras um legume meio que universal: acho que mesmo quem não gosta muito de vegetais come cenoura, pois elas são tão docinhas. Por isso, bolinhos de cenoura fazem todo o sentido do mundo. :)

Encontrei esta receita na revista Bon Appétit e adorei o fato de os bolinhos levarem farinha de grão de bico, o que os torna ainda mais saudáveis: nada melhor do que comida gostosa e que faz bem para a saúde, não?

Servi os bolinhos com uma salada de rúcula temperada com uma vinaigrette simples – a ideia era preparar o iogurte salgado da receita, mas quando abri a geladeira percebi que o iogurte acabara. Fica para a próxima vez. :)

Bolinhos de cenoura (com farinha de grão de bico)
da sempre deliciosa revista Bon Appétit

2 ovos grandes, batidos levemente com um garfo
250g de cenouras, descascadas e raladas no ralador grosso
2 colheres (sopa) de coentro picadinho (pique, depois meça)
¼ xícara de farinha de grão de bico*
sal e pimento do reino moída na hora
azeite de oliva

Em uma tigela, misture os ovos, a cenoura, o coentro e a farinha de grão de bico (a mistura é ralinha). Tempere com sal e pimenta do reino.

Aqueça ½ colher (sopa) de azeite em uma frigideira antiaderente grande em fogo médio-alto. Coloque 2 colheres (sopa) da mistura por bolinho na frigideira, deixando espaço entre as porções, e achate levemente até conseguir uma panquequinha de aproximadamente 1cm de espessura. Frite por 3 minutos de cada lado ou até que dourem.

* apesar de eu ter feito meia receita (as quantidades colocadas aqui) precisei usar a quantidade toda de farinha de grão de bico, pois a mistura estava rala demais

Rend.: 6 unidades

terça-feira, setembro 30, 2014

Bolo de mel, especiarias e framboesa

English version

Spiced honey and raspberry cake / Bolo de mel, especiarias e framboesa

Estava no sofá de casa em uma manhã de sábado, cercada de livros de receita, tentando decidir o que fazer de gostoso para o final de semana (eu lhes disse que geralmente planejo com antecedência, mas isso nem sempre dá certo), quando Nigel Slater apareceu na tela da TV fazendo um bolo lindo com ameixas – eu na hora soube o que prepararia naquele dia. :)

Não havia ameixas em casa (não havia nada fresco, na verdade), por isso decidi usar as framboesas que estavam no freezer. Não gostei muito da quantidade colossal de golden syrup usada no bolo – aqui no Brasil nunca vi golden syrup e sempre a substituíra por glucose de milho, mas como tenho tentado banir este ingrediente da minha despensa usei mel – 200g ao todo.

O bolo ficou úmido e delicioso, parecido com gingerbread tanto no sabor quanto na textura, e o azedinho das framboesas deixou tudo mais interessante ainda – obrigada, Nigela, por tornar o meu sábado ainda mais saboroso e perfumado.

Bolo de mel, especiarias e framboesa
um tiquinho adaptado do lindíssimo Tender, Volume 2: A Cook's Guide to the Fruit Garden

200g de mel
125g de manteiga sem sal
125g de açúcar mascavo
250g de farinha de trigo
1 colher (chá) levemente cheia de fermento em pó
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 colher (chá) levemente cheia de canela em pó
1 colher (chá) levemente cheia de gengibre em pó
1 pitada de sal
2 ovos grandes
240ml de leite integral, temperatura ambiente
1 colher (chá) de extrato de baunilha
250g de framboesas congeladas

Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma forma redonda de 23cm, forre o fundo com um círculo de papel manteiga e unte-o também.
Aqueça o mel e a manteiga em uma panela em fogo baixo até que a manteiga derreta. Retire do fogo, junte o açúcar e deixe esfriar um pouco.
Em uma tigela grande, peneire juntos a farinha, o fermento, o bicarbonato, a canela, o gengibre e o sal. Junte a mistura de mel e misture para combinar. Acrescente os ovos, o leite e a baunilha e misture com um batedor de arame até obter uma massa homogênea. Derrame na forma preparada e espalhe as framboesas por cima da massa. Asse por cerca de 45 minutos ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito).
Deixe esfriar completamente na forma sobre uma gradinha. Desenforme com cuidado, remova o papel e transfira para um prato de servir.

Rend.: 8-10 porções

sexta-feira, setembro 26, 2014

Barrinhas de geleia de figo, gengibre e amêndoa

English version

Fig, ginger and almond bars / Barrinhas de geleia de figo, gengibre e amêndoa

Geralmente planejo com antecedência o que quero cozinhar no final de semana, assim tenho tempo de comprar tudo de que preciso antes – fico desapontada quando escolho uma receita em um livro e descubro, minutos depois, que não tenho todos os ingredientes em casa.

Fiz o bolo de mel e framboesas do qual falei outro dia porque frutas vermelhas congeladas eram as únicas frutas que eu tinha em casa – geladeira vazia é um efeito colateral clássico das férias. Assei o bolo e então decidi ver TV, folhear meus livros de receita e esquecer por um momento sobre a escassez de alimentos frescos na minha casa – não estava a fim de ir ao supermercado, e meu marido estava tão cansado, tadinho, não tive coragem de lhe pedir para sair só porque eu queria cozinhar.

Dois ou três livros folheados depois, vi uma receita de barrinhas de geleia de laranja e gengibre cobertas com amêndoas, e elas pareciam deliciosas. Conforme fui lendo a lista de ingredientes, me toquei de que tinha tudo na despensa e na geladeira – isso é tão raro! – exceto a geleia de laranja – ooops –, mas lembrei de uma geleia de figo que sobrara dos biscoitinhos de outro dia.

Senti que o combo figo + gengibre seria tão bom quanto o combo laranja + gengibre, então substituí a geleia de laranja pela de figo e adicionei um pouquinho de farinha de amaranto por razões nutricionais. Figo e gengibre são, sim, uma delícia juntos e as barrinhas foram um sucesso: ficam saborosas e acalmaram a minha vontade de cozinhar.

Barrinhas de geleia de figo, gengibre e amêndoa
um tiquinho adaptadas do lindo e delicioso The Baking Collection (The Australian Women's Weekly)

- xícara medidora de 240ml

Base:
90g de manteiga sem sal, amolecida
½ xícara (100g) de açúcar cristal
½ colher (chá) de extrato de baunilha
1 ovo
100g de farinha de trigo
50g de farinha de amaranto
¼ colher (chá) generosa de fermento em pó
1 pitada de sal

Recheio:
1 xícara de geleia de figo
¼ xícara de gengibre cristalizado bem picadinho – pique, depois meça

Cobertura:
1 ovo, ligeiramente batido com um garfo
120g de amêndoas em lâminas
60g de farinha de amêndoa
1 colher (chá) de extrato de baunilha

Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma forma retangular de 20x30cm, forre-a com papel alumínio deixando sobras em dois lados opostos, formando “alças”, e unte o papel também.

Base: na batedeira, bata a manteiga e o açúcar até obter um creme. Junte a baunilha e bata. Acrescente o ovo e bata para incorporar. Adicione as farinhas, o fermento e o sal em misture com uma espátula de silicone*. Espalhe a massa na forma.
Recheio: em uma tigela pequena, misture a geleia e o gengibre. Espalhe sobre a base.
Cobertura: em uma tigela média, misture o ovo, a baunilha, 80g das amêndoas em lâminas e a farinha de amêndoa. Espalhe sobre a camada de geleia. Salpique com as amêndoas restantes.
Asse por 40 minutos ou até que o topo doure levemente e o recheio borbulhe. Deixe esfriar completamente na forma sobre uma gradinha. Corte em quadradinhos para servir.

* neste ponto, a minha massa estava mole demais (talvez pela substituição de parte da farinha comum pela de amaranto), por isso acrescentei 2 colheres (sopa) – 20g – de farinha de trigo à mistura

Rend.: 24 unidades

quarta-feira, setembro 24, 2014

Curry de kofta bovino com arroz e ervilhas e enloquecendo com livros de receita

English version

Beef kofta curry with fluffy rice and peas / Curry de kofta bovino com arroz e ervilha

Setembro é um mês ótimo: a primavera chega por aqui trazendo flores e deixando a cidade mais bonita e, no caso de São Paulo, também traz a tão esperada chuva (seja boazinha conosco, Mãe Natureza, por favor, já que infelizmente esse governador cretino será reeleito e eu não gostaria de ficar dias sem tomar banho). Também é época do lançamento de um montão de livros de receita nos EUA, a Amazon fica recheada de novidades e isso me deixa tensa, pois por mais que eu fique dizendo a mim mesma que já tenho livros demais e que não preciso de mais eu sei que não soo muito convincente. :)

Fiquei de olho em vários lançamentos por um bom tempo e já estava em uma situação complicada por não saber quais escolheria para comprar, e para piorar as coisas Jamie Oliver tem um livro novo, também. Ô céus. :S

Minha avó, que é uma versão em carne e osso da Palmirevil, me diria para parar com esse “fogo no rabo” de comprar tanto livro porque logo, logo não vou ter mais onde guardá-los. :D

Enquanto decido se compro ou não "Comfort Food", vou usando os livros do Jamie que já tenho, pois os danados são bem bons. Estas koftas saíram do delicioso "Jamie's 15-Minute Meals", um livro que eu deveria mesmo usar mais vezes, pois é cheinho de coisas gostosas.

Adaptei um pouquinho a receita para usar curry em pó no lugar da pasta de curry (que eu não tinha) e também para usar lentilhas comuns em vez das super caras (pelo menos aqui) lentilhas puy que a receita original pedia. Com tais “adaptações” economizei um dinheirinho, usei os ingredientes que já tinha em casa e no final a comida ficou uma delícia – e o marido ainda comeu lentilha, o que foi a verdadeira vitória aqui. :D

Curry de kofta bovino com arroz e ervilhas
um pouco adaptados do fantástico Jamie's 15-Minute Meals

100g de lentilhas cozidas e drenadas
300g de carne bovina moída magra
1 dente de alho grande, amassado e picadinho
1 colher (chá) cheia de garam masala
½ colher (chá) generosa de sal
pimenta do reino moída na hora
azeite de oliva
2 tomates maduros
2 colheres (chá) de gengibre fresco ralado
2 cebolinhas, parte branca apenas
½ pimenta vermelha – se não quiser o prato muito ardido, retire as sementes
1 colher (chá) de cúrcuma em pó
1 colher (chá) de mel
2 colheres (chá) de curry em pó
100ml de leite de coco
1 punhado de folhas de salsinha

Para o arroz:
1 colher (chá) de azeite de oliva
½ cebola, bem picadinha
1 caneca (chá) de arroz basmati
2 bagas de cardamomo
sal
150g de ervilhas congeladas

Em uma tigela, junte as lentilhas, a carne, o alho, o garam masala, o sal e a pimenta e misture com as mãos limpas e secas, esmagando levemente para que as lentilhas adiram à carne. Divida a mistura ao meio, e ao meio mais duas vezes, para obter 8 porções, e molde cada uma delas como uma croquete gorducho. Coloque-os em uma frigideira antiaderente em fogo médio-alto, regue com ½ colher (sopa) de azeite e frite, virando, até que dourem de todos os lados.

No liquidificador ou processador, junte os tomates, o gengibre, as cebolinhas, a pimenta, a cúrcuma, o mel, o curry e o leite de coco e bata até combinar. Despeje sobre as koftas, deixe levantar fervura, abaixe o fogo e cozinhe por alguns minutos. Tempere a gosto.

Arroz: em uma panela média, em fogo alto, aqueça o azeite. Junte a cebola e refogue até ficar transparente. Junte o arroz e misture. Adicione o sal e o cardamomo, seguidos de 2 canecas de água fervente, tampe e abaixe o fogo. Cozinhe até o arroz ficar soltinho. Adicione as ervilhas, misture com um garfo, tampe novamente e cozinhe por mais 2-3 minutos, para cozinhar as ervilhas. Retire do fogo.

Polvilhe as koftas com a salsinha e sirva com o arroz.

Rend.: 4 porções

terça-feira, setembro 23, 2014

Bolo de milho e limão siciliano (sem glúten) + filmes, filmes e mais filmes

English version

Lemon and polenta cake (gluten free) / Bolo de milho e limão siciliano (sem glúten)

As duas semanas de férias me deixaram pro fora dos novos lançamentos do cinema e dos filmes pelos quais esperar ansiosamente nos próximos meses – eu não tinha nem ideia do que estava em cartaz por aqui, era hora de me atualizar.

No final de semana, fui ao cinema com minha irmã – não fazíamos isso desde “Planeta dos Macacos: O Confronto”, tempo demais! – e vimos “Lucy”: gostei bastante do filme, e é sempre incrível ver filmes protagonizados por mulheres quebrando tudo nas bilheterias, calando os idiotas que acham que mulher não dá lucro na indústria do cinema (lembremos todos do discurso de Cate Blanchett no Oscar, meses atrás). :)

Mais notícias boas: adorei descobrir que “Garota Exemplar” chega aos cinemas brasileiros um dia antes da estreia americana, um alívio já que “Os Homens que Não Amavam as Mulheres” demorou um mês pra vir pra cá. Oba! \0/

E para o futuro próximo, vi o trailer de “Low Down” e mal posso esperar pra saber quando o filme será lançado, não só pelo ótimo trailer, mas também por causa do elenco espetacular: me apaixonei por John Hawkes depois de ele me deixar boquiaberta três vezes seguidas, sendo maravilhoso em “Inverno da Alma”, “Martha Marcy May Marlene” e “As Sessões” (e sendo roubado de uma indicação ao Oscar pelo último). Todo mundo que viu “Super 8” percebeu que Elle Fanning é talentosa, e o que dizer de Glenn Close? <3 <3 <3

Depois de me inteirar sobre os filmes, fiz o mesmo com a minha cozinha: não preparava nada fazia muito tempo e estava desesperada por uma fatia de bolo fresquinho. Fiz um bolo de mel que ficou uma delícia, mas como ainda não consegui mexer com as fotos lhes trago outro bolo, igualmente gostoso, algo que fiz antes de viajar; encontrei a receita ao procurar por (mais um) bolo de limão, e não fiquei decepcionada: úmido, azedinho e delicioso, tenho certeza de que agradará aqueles amam bolos de limão tanto quanto eu.


Bolo de milho e limão siciliano (sem glúten)
um nadinha adaptado do delicioso Breakfast, Lunch, Tea: The Many Little Meals of Rose Bakery

150g de açúcar cristal
raspas da casca de 2 limões sicilianos
165g de manteiga sem sal, amolecida
suco de ½ limão siciliano
½ colher (chá) de extrato de baunilha
2 ovos
185g de farinha de amêndoa
75g de polenta instantânea
35g de amido de milho
½ colher (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
açúcar de confeiteiro, para polvilhar

Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte uma forma de bolo inglês de 20x10cm (com capacidade para 6 xícaras de massa), forre com papel manteiga e unte o papel também.
Coloque o açúcar e as raspas de limão na tigela da batedeira e misture com as pontas dos dedos para aromatizar o açúcar. Junte a manteiga e bata com a batedeira até obter um creme claro e fofo. Junte o suco de limão e a baunilha, seguidos dos ovos, um a um, batendo bem a cada adição – a mistura pode parecer talhada, não se preocupe. Em uma tigela, misture a farinha de amêndoa, a polenta, o amido de milho, o fermento e o sal e incorpore-os à mistura da batedeira, misturando de baixo para cima, gentilmente, com uma espátula de silicone.
Transfira a massa para a forma e asse por 40-50 minutos ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito). Deixe esfriar completamente na forma sobre uma gradinha. Desenforme com cuidado e remova o papel. Polvilhe com açúcar de confeiteiro para servir.

Rend.: 6-8 porções

segunda-feira, setembro 22, 2014

Muffins de granola

English version

Granola muffins / Muffins de granola

E já que falávamos sobre desperdício de comida dias atrás, deixem-me lhes contar que a saga da granola não chegou ao fim com os biscoitos que publiquei antes das férias: mesmo depois de uma fornada generosa de cookies eu ainda tinha dois punhados de granola no vidro e nenhuma intenção de comê-la com leite ou iogurte. :(

Fui salva pela maravilhosa Nigella Lawson e sua receita de muffins de granola: fácil, rápida, e nas receitas dela confio cegamente. Quando pesei minha granola, havia exatamente 252g – liguei o forno na mesma hora. :D

Os muffins ficaram macios e saborosos – foi um jeito ótimo de aproveitar a fatídica granola. Eu acho que um pouquinho de canela em pó faria maravilhas por eles: apenas uma dica para quem, como eu, tiver granola em casa implorando para ser usada.

Muffins de granola
do sempre delicioso Feast: Food That Celebrates Life

- xícara medidora de 240ml

1 ½ xícaras (210g) de farinha de trigo
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1/8 colher (chá) de sal
1 xícara (240ml) de buttermilk*
1 ovo grande
¾ xícara (130g) açúcar mascavo claro – aperte-o na xícara na hora de medir
⅓ xícara (80ml) de óleo de canola
1 colher (chá) de extrato de baunilha
250g de granola – usei caseira

Pré-aqueça o forno a 200°C. Forre uma forma de muffins com 12 cavidades com forminhas de papel.
Em uma tigela grande, misture com um batedor de arame a farinha, o bicarbonato e o sal. Em uma tigela média, misture bem com o batedor de arame o buttermilk, o ovo, o açúcar, o óleo e a baunilha. Despeje sobre os ingredientes secos e misture levemente – massa de muffin não é lisa como massa de bolo, é encaroçada mesmo; se misturar demais, os muffins ficarão duros. Incorpore a granola e divida a massa entre as forminhas. Asse até que dourem e cresçam, cerca de 25 minutos. Desenforme com cuidado e transfira para uma gradinha. Sirva mornos ou em temperatura ambiente.

* para fazer 1 xícara de buttermilk em casa: coloque 1 colher (sopa) de suco de limão em uma xícara medidora de 240ml, complete com leite integral em temperatura ambiente e aguarde 10 minutos para sorar; use todo o conteúdo da xícara na usa receita

Rend.: 12 muffins

sexta-feira, setembro 19, 2014

Pão de centeio e cerveja stout e desperdício de comida

English version

Rye and stout bread / Pão de centeio e cerveja stout

Estava assistindo a “Economize com o Jamie” outro dia e além das receitas deliciosas (babei com a linda panzanella dele e ando sonhando com o rendang de carne com chapatis caseiros, hum!) acho super bacana ele mostrar (com números) a quantidade absurda de comida jogada fora por absolutamente nenhuma razão – o programa é feito na Inglaterra, mas sei que aqui no Brasil as coisas não são muito diferentes.

Tive que tomar a responsabilidade pela casa muito jovem e como fazia todas as compras e cozinhava tinha de ser esperta: éramos quatro e nada poderia ser desperdiçado. Por sorte meu irmão era o único enjoadinho entre nós: meu pai e minha irmã comiam praticamente tudo o que eu fazia, e por eles serem tão bons de garfo eu podia experimentar e testar novas coisas sempre que quisesse.

Sobras de arroz e macarrão viraram bolinhos, o restinho da salada de tomate ia para a geladeira para ser acrescentado ao molho em outro momento, verduras refogadas que sobravam eram misturadas a ovos e viravam omeletes deliciosas – era assim que eu “gerenciava” a cozinha naquela época, e isso me fez aprender muito sobre comida, bem antes de blogs, livros de receita e programas de TV. Por isso, adoro como o Jamie mostra às pessoas como transformar ingredientes em coisas completamente diferentes – as dicas dele são ótimas.

Quando fiz o bolo de cerveja da Nigella um tempo atrás, sobrou cerveja e já que eu não ia bebê-la (como alguns de vocês sugeriram, seus danados!) teria de fazer algo útil com ela, e o resultado foi este pão: evitei o desperdício de cerveja cara e ainda comemos sanduíches abertos deliciosos no almoço, feitos com pão fresquinho – se isso não é algo maravilhoso, eu não sei o que é. :)

Pão de centeio e cerveja stout
um nadinha adaptado da sempre lindíssima Gourmet Traveller

150g de farinha de centeio
1 colher (chá) de fermento biológico seco
100ml de cerveja stout
1 colher (sopa) de melado de cana
1 colher (chá) de sal, uso dividido
1 xícara (240ml) de água morna
350g de farinha de trigo

Na tigela da batedeira (você vai usar o batedor de massas pesadas nesta receita) misture a farinha de centeio, o fermento, a cerveja, o melado, metade do sal e a água. Reserve em um lugar quentinho por 5-8 minutos ou até espumar. Junte a farinha de trigo e o restante do sal e misture por 5 minutos (ou sove, caso não use a batedeira) até a massa ficar homogênea. Transfira para uma tigela grande, levemente pincelada com óleo, vire para untar a massa dos dois lados e cubra com filme plástico. Deixe crescer até dobrar de volume, 1 ½ - 2 hours.

Forre uma assadeira grande e rasa com papel alumínio. Dê um soquinho na massa para retirar o excesso de ar e sove em uma superfície levemente enfarinhada até ficar lisa, polvilhando com farinha se for necessário. Divida a massa em duas partes iguais e forme uma bola com cada uma delas. Polvilhe o topo dos pães com um pouquinho de farinha e transfira para a assadeira preparada. Cubra com um pano de prato limpo e seco e deixe crescer novamente até dobrar de volume (1 hora).
Enquanto isso, pré-aqueça o forno a 180°C/350°F. Asse até que os pães fiquem bem dourados e haja um som de oco ao bater com os nós dos dedos na parte inferior dos pães.

Rend.: 2 pães

quinta-feira, setembro 18, 2014

Tortinhas de cheesecake de limão siciliano - receita com vídeo

English version

Lemon cheesecake tartlets / Tortinhas de cheesecake de limão siciliano

Meses atrás, minha irmã me disse que teria de fazer um trabalho para a faculdade: ela e seu grupo teriam de criar um vídeo de receita e para isso precisariam da minha ajuda. :)

As crianças – eles tem vinte anos, por isso os chamo de crianças – vieram à minha casa em um sábado e passamos uma tarde ótima juntos. Nós gravamos o vídeo – na verdade, eles me gravaram preparando tortinhas – e foi bem divertido (e trabalhoso, também). Quem acompanha a página do blog no Facebook viu algumas fotos dos "bastidores".

No final da sessão, servi bolo e cookies aos meus convidados e eles disseram à minha irmã que daquele dia em diante iriam querer fazer todos os trabalhos na minha casa. :D

Aqui estão o vídeo e a receita das tortinhas – espero que gostem de ver estas mãos sardentas em ação! :)



Tortinhas de cheesecake de limão siciliano
um pouquinho adaptadas da sempre linda revista Donna Hay

- xícara medidora de 240ml

Base:
100g bolacha maisena ou Maria
30g manteiga sem sal, derretida e fria

Recheio:
1 xícara de cream cheese, temperatura ambiente
1/3 xícara de açúcar cristal
¼ xícara de creme azedo (sour cream)*
1 pitada de sal
½ colher (chá) de extrato de baunilha
raspas da casca de 1 limão siciliano
1 ovo
100g framboesas

Unte com manteiga 6 forminhas de torta de 8cm de diâmetro (com fundo removível). Coloque os biscoitos no processador e processe até moê-los. Junte a manteiga e processe até incorporar e a mistura ficar com a textura de areia molhada.
Com as pontas dos dedos, pressione a mistura nas forminhas e leve à geladeira por 30 minutos. Enquanto isso, pré-aqueça o forno a 150°C.
Em uma tigela média, usando um batedor de arame, misture o cream cheese, o creme azedo, o açúcar, o sal, a baunilha e as raspas de casca de limão. Junte o ovo e misture. Despeje nas forminhas e leve ao forno por 15 minutos ou até firmar levemente.
Deixe esfriar e depois leve à geladeira por 1 hora.
Salpique com açúcar de confeiteiro, decore com as framboesas e sirva.

* creme azedo (sour cream) caseiro: para preparar 1 xícara de creme azedo, misture 1 xícara (240ml) de creme de leite fresco com 2-3 colheres (chá) de suco de limão ou limão siciliano em uma tigela. Vá mexendo até que comece a engrossar. Cubra com filme plástico e deixe em temperatura ambiente por 1 hora ou até que engrosse um pouco mais (geralmente faço o meu na noite anterior e deixo sobre a pia – com exceção de noites extremamente quentes – coberto com filme plástico; na manhã seguinte a mistura fica bem cremosa, leve à geladeira para ficar mais espessa ainda)

Rend.: 6 unidades

quarta-feira, setembro 17, 2014

Voltando de férias com bolo de geleia de damasco

English version

Apricot jam cake / Bolo de geleia de damasco

Oi, gente!

Estou de volta depois de férias incríveis na Espanha: lugares lindos, comida deliciosa e quantidades absurdas de Cava. :D

Voltei para casa feliz da vida, mas também uns quilinhos mais pesada, apesar de ter caminhado bastante por lá – não dá pra comer tudo aquilo de jamón e pan con tomate sem enfrentar as consequências, né? :) Pretendo comer muitas verduras, frutas e legumes nas próximas semanas (há uma panela enorme de sopa de legumes na minha geladeira), mas sei que não consigo sobreviver sem uma fatia de bolo no final de semana.

Moderação é o meu mantra. ;)

Se vocês são como eu, posso sugerir esse bolinho de geleia? É delicioso e macio – não se preocupem se o centro afundar um pouquinho, é o peso da geleia na massa. Não o experimentei com outros sabores de geleia, mas acho que também ficaria ótimo com algo azedinho, não tão doce.

Bolo de geleia de damasco
de um dos meus livros de receita favoritos

- xícara medidora de 240ml

1 ½ xícaras (210g) de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
½ colher (chá) de canela em pó
¼ colher (chá) de cravo em pó
¼ colher (chá) de bicarbonato de sódio
1/8 colher (chá) de sal
6 colheres (sopa) - 85g - de manteiga sem sal, amolecida
150g de açúcar mascavo claro
1 xícara de geleia de damasco
2 ovos, temperatura ambiente
2 colheres (sopa) de creme azedo (sour cream)*

Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte com manteiga uma forma quadrada de 20cm, forre o fundo com um quadrado de papel manteiga, unte o papel e enfarinhe tudo, retirando o excesso.
Em uma tigela média, misture com um batedor de arame a farinha, o fermento, a canela, o cravo, o bicarbonato e o sal.
Em uma tigela grande, usando a batedeira, bata a manteiga e o açúcar até obter um creme claro e fofo. Junte a geleia e bata. Batendo, junte os ovos, um a um. Raspe as laterais da tigela ocasionalmente.
Acrescente o creme azedo e misture até homogeneizar. Com a batedeira em velocidade baixa, junte os ingredientes secos aos poucos e bata somente até incorporar.
Despeje a massa na forma preparada e asse por cerca de 50 minutos ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito).
Deixe esfriar na forma completamente. Desenforme com cuidado, remova o papel e inverta em um prato de servir.

* creme azedo (sour cream) caseiro: para preparar 1 xícara de creme azedo, misture 1 xícara (240ml) de creme de leite fresco com 2-3 colheres (chá) de suco de limão ou limão siciliano em uma tigela. Vá mexendo até que comece a engrossar. Cubra com filme plástico e deixe em temperatura ambiente por 1 hora ou até que engrosse um pouco mais (geralmente faço o meu na noite anterior e deixo sobre a pia – com exceção de noites extremamente quentes – coberto com filme plástico; na manhã seguinte a mistura fica bem cremosa, leve à geladeira para ficar mais espessa ainda)

Rend.: 8 porções

segunda-feira, setembro 01, 2014

Monte Carlos - bonitinhos e deliciosos

English version

Monte Carlos

Já que eu adoro comida com boa aparência, não vai ser surpresa nenhuma para vocês que no minuto em que vi estes biscoitos eu tive que fazê-los: delicados e bonitinhos, eles pareciam mini versões do bolo Victoria sandwich, com as camadas de creme e geleia.

Quando provei um biscoitinho, percebi que não eram só graciosos: eram uma delícia, também. O combo beleza + sabor me lembrou do programa "The Great British Bake Off" e de como Paul Hollywood estava irritante na quarta temporada, entre outras coisas dizendo a uma participante dezenas de vezes que ela era um caso de "style over substance", ou seja, que ela se preocupava demais com a apresentação dos pratos e pecava no sabor - nem preciso dizer que ao final da temporada eu já não suportava mais o programa.

Estes biscoitos, gente, não são mesmo um caso de "style over substance" - eles são bonitinhos e saborosos. Se provarem a receita, voltem aqui e me digam se concordam comigo ou não.

Monte Carlos
um tiquinho adaptados do lindo e delicioso The Baking Collection (The Australian Women's Weekly)

Biscoitos:
200g de farinha de trigo
100g de farinha integral
2 colheres (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
40g de coco ralado sem adição de açúcar
185g de manteiga sem sal, amolecida
110g de açúcar mascavo claro
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 ovo

Recheio:
60g de manteiga sem sal, amolecida
120g de açúcar de confeiteiro peneirado
1 colher (chá) de extrato de baunilha
2 colher (chá)s de leite integral, temperatura ambiente
cerca de 50g de geleia de amora

Pré-aqueça o forno a 180°C. forre duas assadeiras rasas com papel manteiga.
Em uma tigela média, misture com um batedor de arame as farinhas, o fermento, o sal e o coco.
Em uma tigela grande, usando a batedeira, bata a manteiga, o açúcar e a baunilha até obter um creme claro. Junte o ovo e bata. Em velocidade baixa, acrescente os ingredientes secos e misture apenas até incorporar.
Para cada biscoito, faça uma bolinha com 1 colher (sopa) nivelada de massa e coloque nas assadeiras preparadas deixando 2,5cm de distância entre um e outro. Achate os biscoitos com um garfo. Asse por 12-15 minutos ou até que dourem nas extremidades. Deixe esfriar nas assadeiras por 2 minutos e então deslize o papel com os biscoitos para uma gradinha e deixe esfriar completamente.

Recheio: com a batedeira, bata a manteiga, o açúcar e a baunilha até obter um creme claro e fofo. Junte o leite e bata.

Espalhe o recheio de creme em metade dos biscoitos e a geleia na outra metade. Junte-as, formando sanduichinhos.

Rend.: 22 biscoitos recheados

sexta-feira, agosto 29, 2014

Torta de beterraba, cebola roxa e feta com massa de centeio

English version

Beetroot, red onion and feta tart with rye pastry /Torta de beterraba, cebola roxa e feta com massa de centeio

Cozinhar é um processo de aprendizagem contínuo e algo que aprendi ao longo dos anos é que o freezer pode ser um aliado poderoso na cozinha: não apenas para pratos prontos e sorvete, mas também para guardar e conservar ingredientes como caldos, legumes, castanhas e muitos mais.

Com dois pacotinhos de massa de centeio no freezer – fiz a receita inteira, dividi na metade e congelei cada uma individualmente, bem embrulhadas primeiro em plástico, depois em papel alumínio – decidi fazer uma torta para o almoço e fiquei pensando no recheio. Quase fiz a de alho-poró e queijo novamente, tão saborosa que ficou, mas quando vi a torta de beterraba e queijo de cabra do Dale Pinnock caí de amores.

Minha mãe adorava beterraba e eu as comia sempre quando era pequena, mas sempre cozida ou crua, raladinha como salada. Depois de adulta, recentemente até, assei beterrabas pela primeira vez e não teve mais jeito: não cozinhei beterrabas em água depois disso e nem pretendo. Assadas, seu sabor fica mais forte e a textura menos aguada – simplesmente deliciosas.

Este é o meu toque à receita, usando beterrabas assadas em vez de cozidas em água e massa caseira de centeio em vez de massa folhada industrializada: além de uma delícia, achei que ficou bem bonita também, vocês não acham? ;)

Beetroot, red onion and feta tart with rye pastry /Torta de beterraba, cebola roxa e feta com massa de centeio

Torta de beterraba, cebola roxa e feta com massa de centeio
adaptada de duas ótimas fontes: The Medicinal Chef: Eat Your Way to Better Health e Love, Bake, Nourish: Healthier cakes and desserts full of fruit and flavor

½ receita de massa de centeio

Recheio:
5 beterrabas pequenas
azeite de oliva
sal e pimenta do reino moída na hora
1 cebola roxa pequena, em fatias fininhas
½ colher (sopa) de mel
alguns galhinhos de tomilho fresco
100g de queijo feta
1 colher (sopa) de pignoli
1 ovo, levemente batido com um garfo, para pincelar

Pré-aqueça o forno a 200°C. Coloque as beterrabas em um pedaço grande de papel alumínio, regue com azeite e tempere com sal e pimenta. Feche o papel formando um pacotinho, transfira para uma assadeira e asse por cerca de 40 minutos ou até que as beterrabas estejam macias (espete com uma faca para testar). Deixe esfriar o suficiente para conseguir manipulá-las e remova a casca (as que usei eram orgânicas, então não me preocupei muito com os restinhos de casca que sobraram nelas). Deixe esfriar e então corte em fatias.
Aqueça um pouquinho de azeite em uma frigideira antiaderente em fogo médio-alto. Junte a cebola e refogue por 4-5 minutos, mexendo ocasionalmente, até amaciar. Tempere com sal e pimenta do reino, junte o mel e o tomilho e cozinhe até a cebola ficar com aparência caramelizada. Deixe esfriar.

Quando estiver pronto para fazer a torta, coloque cada metade de massa sobre um pedaço de papel manteiga e abra com o rolo até obter um círculo de aproximadamente 25cm. Transfira o papel com a massa para uma forma de beiradas baixas.
Arrume a cebola no centro da massa, cubra com as fatias de beterraba e cubra com o feta esmigalhado. Salpique com os pignoli. Com cuidado, vá dobrando a massa sobre parte do recheio. Coloque a torta no freezer por 30 minutos – enquanto isso, pré-aqueça o forno a 180°C.

Pincele a massa da torta com o ovo batido. Asse por 35-40 minutos ou até que a torta doure bem. Salpique com folhinhas de tomilho para servir – a torta é deliciosa tanto morna quanto em temperatura ambiente.

Rend.: 2 porções

quinta-feira, agosto 28, 2014

Muffins de maçã, creme azedo e canela

English version

Apple, sour cream and cinnamon crunch muffins / Muffins de maçã, creme azedo e canela

Tenho que tomar cuidado quando estou cozinhando com certos ingredientes – sem perceber, acabo comendo tudo antes de usá-los na receita propriamente dita! Tomates cereja, cenoura crua, azeitonas, queijo, castanhas: ou me controlo, ou não sobra nada.

Dependendo do ingrediente meu marido faz a mesma coisa, e aí lá se foi o jantar.

Junte à lista sementes de abóbora tostadas – são deliciosas e evito me empolgar demais com o fato de serem saudáveis. Enquanto preparava estes muffins separei as duas colheres (sopa) necessárias para a receita e medi outras duas colheres de sementes para beliscar – elas acabaram em pouco tempo (eu tinha acabado de misturar os ingredientes secos na tigela grande).

Disse a mim mesma que era melhor comer um punhado de sementes de abóbora do que um punhado de doce e parei de me preocupar com o assunto. ;)

Falando nas sementinhas, fiquem à vontade para usar as cruas nestes muffins – são elas as pedidas na receita original; usei as torradas porque eram o que eu tinha em casa. A canela, as amêndoas e a maçã tornam esses muffins bem saborosos, enquanto que o creme azedo os deixa macios e úmidos.

Muffins de maçã, creme azedo e canela
adaptados do Grains: 150 Recipes for Every Appetite

Cobertura:
70g de amêndoas, picadas grosseiramente
2 colheres (sopa) de sementes de abóbora – usei torradas
45g de açúcar mascavo claro
½ colher (chá) de canela em pó

Muffins:
100g de farinha de trigo integral
100g de farinha de trigo comum
1 colher (chá) de fermento em pó
¼ colher (chá) de canela em pó
1 pitada de sal
75g de manteiga sem sal, derretida e fria
75g de açúcar mascavo claro
150g de creme azedo (sour cream)*
1 ovo, levemente batido com um garfo
1 colher (sopa) de leite integral
1 maçã Gala grande (cerca de 250g), descascada e em cubinhos

Pré-aqueça o forno a 180°C. Forre com forminhas de papel uma forma de muffins com 12 cavidades.
Cobertura: em uma tigelinha, misture as amêndoas, as sementes de abóbora, o açúcar mascavo e a canela. Reserve.
Muffins: em uma tigela grande, misture com um batedor de arame as farinhas, o fermento, a canela e o sal. Em uma tigela média, bata com um garfo ou com um batedor de arame a manteiga, o açúcar, o creme azedo, o ovo e o leite. Despeje esta mistura sobre os ingredientes secos e misture levemente com um garfo – não misture demais ou os muffins ficarão duros; a massa de muffin não fica homogênea e lisa como massa de bolo. Incorpore as maçãs e divida a massa entre as forminhas. Salpique com a cobertura e pressione levemente com as mãos para que grude na massa.
Asse por 20-25 minutos ou até que os muffins cresçam e dourem (faça o teste do palito). Deixe esfriar na forma por 5 minutos e então desenforme com cuidado, transferindo para uma gradinha para que esfriem.

* creme azedo (sour cream) caseiro: para preparar 1 xícara de creme azedo, misture 1 xícara (240ml) de creme de leite fresco com 2-3 colheres (chá) de suco de limão ou limão siciliano em uma tigela. Vá mexendo até que comece a engrossar. Cubra com filme plástico e deixe em temperatura ambiente por 1 hora ou até que engrosse um pouco mais (geralmente faço o meu na noite anterior e deixo sobre a pia – com exceção de noites extremamente quentes – coberto com filme plástico; na manhã seguinte a mistura fica bem cremosa – leve à geladeira para ficar mais espessa ainda)

Makes 12

quarta-feira, agosto 27, 2014

Bolo de chocolate e centeio

English version

Chocolate rye cake / Bolo de chocolate e centeio

Não sou fanática por bolo de chocolate como alguns de vocês já sabem, mas sei que a maioria das pessoas os adora, especialmente aqueles com quem divido os doces que preparo, por isso, de tempos em tempos, me pego procurando por uma boa receita de bolo de chocolate para fazer.

Encontrei um bolo bonito na revista Good Food e parecia chocolatudo, saboroso e, acima de tudo, úmido (essa é uma das minhas cismas com bolos de chocolate: alguns deles ficam muito secos), por isso, resolvei experimentar. A receita pedia farinha de amêndoa, um ingrediente do qual gosto muito em bolos, pois melhoram a sua textura consideravelmente, e adicionei um pouquinho de farinha de centeio para ver se combinaria com o chocolate.

Farinha de centeio é tão boa com chocolate quanto é com cítricos, ameixas, frutas vermelhas, alho-poró e queijo – e beterraba e cebola também, mas sobre isso falamos outro dia. :)

O bolo ficou bem macio, com um sabor ótimo e úmido como eu esperava que ficasse: um bom bolo simples de chocolate. Na receita original, o bolo era regado com chocolate derretido – branco e meio-amargo – mas eu sinceramente achei desnecessário: nesse caso, menos é definitivamente mais.

Bolo de chocolate e centeio
um tiquinho adaptado da revista Good Food

175g de manteiga sem sal, amolecida
175g de açúcar cristal
3 ovos
70g de farinha de trigo
70g de farinha de centeio
1 ½ colheres (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
85g de farinha de amêndoa
100ml de leite integral, temperatura ambiente
1 colher (chá) de extrato de baunilha
4 colheres (sopa) de cacau em pó, sem adição de açúcar
70g de chocolate amargo ou meio-amargo, em gotas ou picadinho, levemente polvilhado com farinha de trigo – usei um com 53% de cacau

Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte com manteiga uma forma de bolo inglês de 20x10cm (capacidade para 6 xícaras de massa), forre-a com papel manteiga e unte o papel também.
Na batedeira, bata a manteiga e o açúcar até obter um creme claro e fofo. Junte os ovos, a farinha de trigo, a de centeio, o fermento, a farinha de amêndoa, o leite, a baunilha e o cacau e bata até obter uma massa homogênea. Junte as gotas de chocolate e misture com uma espátula. Transfira a massa para a forma preparada. Asse por 45-50 minutos ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito).
Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 30 minutos e então desenforme com cuidado, usando o papel como alças. Transfira para a gradinha e deixe esfriar completamente. Retire o papel.

Rend.: 8-10 porções

segunda-feira, agosto 25, 2014

Cookies de granola e chocolate branco - transformando algo sem graça em algo gostoso

English version

White chocolate granola cookies / Cookies de granola e chocolate branco

Semanas atrás lhes contei que com as minhas experiências com novas receitas eu tivera resultados bons e ruins: por sorte, mais resultados bons do que ruins, mas algumas coisas não funcionaram mesmo.

Houve o bolo de amêndoa deste livro que foi para a lata do lixo – eu deveria ter seguido a minha intuição e adicionado farinha quando vi que a massa estava líquida demais – e houve a granola de gosto engraçado (da qual falei outro dia). Fiquei triste com o bolo – estava borrachudo demais e não tão gostoso assim para que eu quebrasse a cabeça para dar um fim digno a ele – mas a boa notícia é que consegui salvar a granola.

Se a vida lhes der granola sem graça, façam biscoitos com ela. :D

Estes cookies são fáceis de fazer e ficam uma delícia: a granola que usei não era muito doce e por isso combinou bem com o chocolate branco. Se a sua granola for mais docinha (as industrializadas geralmente são), usar chocolate amargo em vez do branco por ser uma boa ideia.

White chocolate granola cookies / Cookies de granola e chocolate branco

Cookies de granola e chocolate branco
adaptados do meu mais completo livro de doces

- xícara medidora de 240ml

1 xícara (140g) de farinha de trigo
¼ colher (chá) cheia de bicarbonato de sódio
¼ colher (chá) cheia de canela em pó
1 pitada de sal
½ xícara (113g) de manteiga sem sal, temperatura ambiente
1 xícara (175g) de açúcar mascavo claro – aperte-o na xícara na hora de medir
¼ xícara (50g) de açúcar cristal
1 ovo grande
1 colher (chá) de extrato de baunilha
250g de granola (usei caseira)
150g de chocolate branco, em gotas ou picadinho

Em uma tigela média, usando um batedor de arame, misture a farinha, o bicarbonato, a canela e o sal.
Em uma tigela grande, usando a batedeira, bata a manteiga e os açúcares até obter uma mistura cremosa e clara. Junte o ovo e a baunilha e bata. Em velocidade baixa, acrescente a mistura de farinha e bata somente até incorporar. Com uma colher de pau, incorpore a granola e o chocolate.
Forre duas assadeiras grandes e rasas com papel manteiga. Coloque porções de 2 colheres (sopa) niveladas de massa por biscoito nas assadeiras deixando 5cm de distância entre uma e outra. Leve à geladeira por 30 minutos.
Pré-aqueça o forno a 180°C. Asse os biscoitos até que dourem nas extremidades, 10-12 minutos. Deixe esfriar nas assadeiras por 2 minutos e então deslize o papel com os biscoitos para uma gradinha e deixe esfriar completamente.

Rend.: cerca de 25 cookies

sexta-feira, agosto 22, 2014

Espaguete integral com molho de legumes - comida com sugestão do marido

English version

Wholemeal pasta with vegetable sauce / Espaguete integral com molho de legumes

Sempre acreditei que o amor de alguém por comida é algo crescente: quanto mais comemos, mais amamos a comida (se ela é boa, obviamente).

Minha irmã, por exemplo, cresceu comendo diferentes tipos de comida, de salada a bolo, e hoje ela não tem medo de provar coisas novas – ela pode até não gostar, mas pelo menos experimenta antes de dizer não. Gosto de pensar que ela puxou a mim, que tive um papel importante no passado para que ela não se tornasse um adulto enjoado.

Meu marido, por outro lado, foi enjoado por muitos e muitos anos, e fico feliz por ele estar deixando isso para trás. Fico contente por isso ter sido algo natural para ele e por eu não ter forçado nada – acho que é o tipo de descoberta que a pessoa deve fazer sozinha.

Admito, entretanto, que cozinhar hoje em dia é infinitamente mais gostoso.

Ele passou de “eu não gosto de peixe” e “tem coentro nisso???” a fazer sugestões às receitas: enquanto eu folheava o livro do Carluccio outro dia mostrei a ele uma foto linda de espaguete com molho de legumes (não sou a única pessoal visual na família) e esperei por sua reação: ele disse “esse macarrão parece bom – por que você não coloca uns tomatinhos cereja junto?”

Isso vindo de alguém que fugia de qualquer tipo de tomate como o diabo foge da cruz. :)

Então fiz o macarrão e segui a sugestão do João, mas assei os tomatinhos para que eles ficassem macios e se misturassem ao espaguete mais facilmente – a ideia dele foi deliciosa, tenho de dizer. :)

Espaguete integral com molho de legumes
um tiquinho adaptado do excelente e delicioso Pasta: The Essential New Collection from the Master of Italian Cookery

200g de tomates cereja
azeite extra-virgem, para regar
sal e pimenta do reino moída na hora
300g de espaguete integral seco
1 punhado de folhas de manjericão fresco, rasgadas
60g de parmesão ralado fininho

Molho:
6 colheres (sopa) de azeite de oliva
2 cebolas, bem picadinhas
4 dentes de alho graúdos, bem picadinhos
2 cenouras médias, descascadas e bem picadinhas
2 talos de salsão, bem picadinhos
4 tomates médios maduros, sem as sementes, picadinhos

Pré-aqueça o grill do forno. Corte os tomates cereja ao meio no sentido do comprimento e coloque-os em uma assadeira rasa com o lado cortado para cima. Regue com um pouco de azeite extra-virgem, salpique com sal e pimenta e asse no grill por 10 minutos ou até que amaciem. Reserve.

Enquanto isso, faça o molho: em uma panela grande, aqueça o azeite e refogue todos os ingredientes, mexendo de vez em quando, até amaciarem, 10-15 minutos – tempere com sal e pimenta do reino na metade do tempo.

Cozinhe o espaguete em uma panela grande de água salgada por 8-10 minutos (siga as instruções da embalagem) ou até ficar al dente. Escorra e reserve um pouco da água do cozimento. Misture o espaguete com o molho, adicione o manjericão e o parmesão e misture (o queijo vai deixar o molho mais cremoso) – junte um pouquinho da água do cozimento se necessário. Transfira para pratos aquecidos, cubra com os tomatinhos cereja e sirva imediatamente.

Rend.: 4 porções

Related Posts with Thumbnails